Publicidade

Estado de Minas VENDA DE DADOS

Vendas de dados de brasileiros na dark web somam R$ 88 milhões

O estudo, feito pela empresa NordVPN, informou que o Brasil é um dos países mais 'desvalorizados' na dark web, devido à grande quantidade de informações


14/06/2022 11:39 - atualizado 14/06/2022 12:28

Imagem de um notbook com as mãos em cima do teclado
O estudo afirma que, ao todo, existem mais de 30 mil páginas eletrônicas responsáveis por vender informações pessoais (foto: Pixabay)
Criminosos já arrecadaram R$ 88 milhões na dark web, após comercializar mais de 720 mil dados brasileiros, incluindo informações de cartões de crédito, documentos de identidade, carteira de motorista, dados financeiros, números de telefone e contas online. A informação é da empresa NordVPN, especialista em cibersegurança, e divulgada pelo Estadão. 

Segundo a NordVPN, o Brasil é um dos países mais “desvalorizados” no comércio de dados, já que a quantidade de informações dos brasileiros é muito grande nesses sites. O estudo afirma que, ao todo, existem mais de 30 mil páginas eletrônicas responsáveis por vender informações pessoais, sendo que o conteúdo conhecido pelas empresas de cibersegurança é de somente 4%. 


O RG tem quase o mesmo valor, sendo comercializado por US$ 9,31, equivalente a R$ 47,60. Para conseguir informações dos documentos de identificação dos franceses e australianos, por exemplo, esse valor pode chegar a R$ 1.740.

A NordVPN informou que, em geral, as categorias mais acessadas são documentos, com 43%, dados bancários, 39%, e contas, e-mails e senhas, que juntas somam 19%.

As informações mais valiosas são passaportes e contas ligadas à criptomoedas. Na Lituânia, Checoslováquia e Eslováquia, um passaporte verdadeiro custa mais de R$ 18,5 mil, enquanto, na Argentina o mesmo documento é vendido por cerca de R$ 43. Não há informações especificas sobre a venda de passaportes brasileiros. 

Como proteger seus dados na internet

Para proteger as informações na internet, e necessário instalar uma extensão do gerenciador de senhas para o Chrome, com o objetivo de dar uma camada a mais de proteção aos dados. Também é recomendado alterar senhas, além de evitar computadores e wi-fi públicos. 

Atualizar o Windows também é importante, não somente para garantir novas ferramentas, mas também pode ser um meio de proteger e dar segurança ao usuário. Porém, é necessário ficar atento e só aceitar a solicitação para atualizar na tela inicial do computador, e não por e-mails, mensagens e sites, que costumam ser golpes. 

No caso de aplicativos para smartphones, o usuário deve baixar na loja oficial do sistema do celular porque nesses ambientes oficiais, ao contrário de sites de origem duvidosa, a chance de fazer um download de um aplicativo prejudicial é menor. Outra forma é analisar a avaliação de outras pessoas que costumam usar o serviço. 

Os jornais estão cheio de notícias sobre golpes, vazamento de dados pessoais e bancários. Por isso, sempre que isso ocorrer, é preciso acessar os aplicativos relacionados e verificar se está tudo bem com a conta, pois, caso algo aconteça, será possível acionar as autoridades e agir rapidamente

*Estagiária sob supervisão da subeditora Jociane Morais 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade