Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Vereador de SP é expulso do Patriota após criticar Flávio Bolsonaro

Essa não é a primeira vez que isso acontece no partido. Gabriel Azevedo, vereador de Belo Horizonte, foi expulso do partido no início do mês pela mesma razão


10/06/2021 16:32 - atualizado 10/06/2021 16:55

A decisão foi tomada após Nunes fazer críticas ao senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ)(foto: Redes Sociais/Reprodução)
A decisão foi tomada após Nunes fazer críticas ao senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) (foto: Redes Sociais/Reprodução)
O vereador paulistano e advogado do MBL (Movimento Brasil Livre) Rubinho Nunes foi expulso do Patriota. A decisão foi tomada após Nunes fazer críticas ao senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ).
 
 
A decisão foi tomada em convenção municipal da legenda realizada na segunda (7/6). O parlamentar foi denunciado por indisciplina partidária. Ele não vai recorrer da decisão.

Essa não é a primeira vez que isso acontece no partido. Desde que Flávio integrou a legenda, casos similares foram notificados.

Entre eles, Gabriel Azevedo, vereador de Belo Horizonte, que foi expulso do partido no início do mês. O parlamentar é crítico de Bolsonaro. A postura dele ante o presidente foi a justificativa do partido para retirá-lo da agremiação.

Leia: Vereador de BH, Gabriel Azevedo é expulso do Patriota
 
Quando se filiou à legenda, Flávio também afirmou que o pai, Jair Bolsonaro, vai se filiar ao partido para disputar a reeleição em 2022.  "Agora, com Bolsonaro na Presidência da República, não tenho dúvida que a gente pode construir um partido maior ainda que o PSL", afirmou o senador.

Bolsonaro enfrentava dificuldades na negociação com uma série de partidos, porque exigia o comando da sigla. Para se filiar a uma nova legenda desde que deixou o PSL, em 2019, o presidente não abriu mão de querer ter poder para controlar os diretórios regionais da agremiação que o acolhesse.

Inclusão vai parar no TSE

 
Alguns integrantes do partido foram até o Tribunal Superior Eleitoral por serem surpreendidos com a inclusão do filho ‘01’ do presidente, anunciada pelo líder do partido no Senado, Adilson Barroso.
 
Eles alegam que Barroso cometeu uma série de irregularidades para obter a maioria e mudar no Estatuto, para priorizar e facilitar a entrada da família Bolsonaro no partido.
 
Um vídeo de uma votação está viralizando nas redes sociais. Nele, é possível ver que grande parte dos filiados não concorda com a adesão de Flávio à legenda.
 
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade