Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2020

Vereadores de BH investigados pela Polícia Civil tentarão reeleição

Léo Burguês (PSL) e Ronaldo Batista (PSC) foram confirmados como candidatos em convenção partidária


15/09/2020 13:52 - atualizado 15/09/2020 14:47

Léo Burguês e Ronaldo Batista tentarão se reeleger neste ano(foto: Karoline Barreto e William Delfino/Câmara Municipal de Belo Horizonte)
Léo Burguês e Ronaldo Batista tentarão se reeleger neste ano (foto: Karoline Barreto e William Delfino/Câmara Municipal de Belo Horizonte)
Alvos de investigações recentes da Polícia Civil (PC) por causa de motivos distintos, os vereadores de Belo Horizonte Ronaldo Batista (PSC) e Léo Burguês (PSL) tentarão se reeleger nas eleições municipais deste ano. Ambos foram confirmados como candidatos a uma das 41 cadeiras na Câmara Municipal de BH, após as devidas convenções partidárias.

A primeira confirmação foi a de Léo Burguês, em convenção do partido na última sexta-feira. Líder do prefeito Alexandre Kalil (PSD) na Câmara, ele ocupa uma cadeira no Legislativo da capital de Minas Gerais desde 2001.

O gabinete de Léo Burguês na Câmara foi alvo de operação da Polícia Civil em 25 de agosto deste ano. O parlamentar é investigado pela prática de rachadinha, ato ilícito que obriga um servidor público a devolver parte do salário ao contratante, que no caso é o vereador. Além disso, a corporação investiga a contratação de funcionários fantasmas e corrupção por parte do parlamentar alvo da operação.

Já Ronaldo Batista foi confirmado em convenção partidária no último sábado. O parlamentar ocupa o cargo de vereador efetivo de BH desde agosto de 2019, ao substituir Cláudio Duarte (PSL), cassado por praticar rachadinha.

Em 21 de agosto deste ano, a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão no gabinete de Ronaldo Batista no Legislativo da capital mineira. A operação fez parte de uma investigação sobre um homicídio contra outro vereador na cidade de Funilândia, na Região Central de Minas Gerais, em julho de 2019.

As eleições municipais deste ano ocorrerão em 15 de novembro (primeiro turno) e no dia 29 do mesmo mês, caso necessário segundo turno. Por causa da COVID-19, o pleito foi adiado, já que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) previa o primeiro turno para 4 de outubro e o segundo para 25 do mesmo mês.

A data limite para se definir as coligações que disputarão um cargo no Executivo é esta quarta-feira, quando se encerram as convenções partidárias. Dez dias depois, no dia 26 de setembro, encerra-se o prazo para legendas e coligações apresentarem à Justiça Eleitoral o requerimento de registro dos candidatos. A propaganda eleitoral pode ter início no dia seguinte, em 27 de setembro.

Posicionamento de Léo Burguês e Ronaldo Batista

O Estado de Minas procurou Léo Burguês e Ronaldo Batista para explicarem como tentarão vencer as eleições diante de investigações tão recentes. Burguês não quis se manifestar sobre a campanha em meio à investigação, enquanto Batista não respondeu a reportagem até a publicação (o espaço segue aberto). Ambos, contudo, negam qualquer envolvimento com atividades criminosas e declararam que se colocam à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos possíveis.

Corrida acirrada pela Câmara de BH

Mais de 90% dos vereadores de Belo Horizonte (92,6%) devem tentar a reeleição no pleito municipal deste ano. Levantamento do Estado de Minas ano mostra que apenas três dos 41 integrantes da Câmara Municipal não são devem ser candidatos à reeleição.

Fernando Borja (Avante) pode disputar a corrida pela prefeitura da capital, enquanto Orlei (PSD) optou por se afastar momentaneamente da vida pública. Dr. Bernardo Ramos (Novo) também decidiu se afastar da Câmara de BH e não será candidato em 2020, mas tentará vaga na Câmara dos Deputados no pleito de 2022.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade