Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas INTERNET

Quando Bolsonaro bombou no Google: os picos de interesse no presidente

Análise da curva que mede as buscas pelo nome de Bolsonaro mostra como o presidente estrategicamente pautou o debate sobre ele - para o bem ou para o mal


postado em 27/12/2019 18:10


Depois da posse, o golden shower. A análise do primeiro ano do governo Bolsonaro a partir dos picos de buscas no Google ajuda a colocar em perspectiva os principais momentos de destaque do presidente em 2019 - no noticiário e na conversa cotidiana dos brasileiros. Em levantamento exclusivo, o Estado de Minas cruzou os dados do Google Trends com o noticiário correspondente às semanas com topos de interesse pelo nome “Bolsonaro”. Os dados, coletados no começo de dezembro, mostram que, em primeiro lugar, aparece a posse e em seguida o episódio envolvendo o “golden shower” no carnaval.

“Chama atenção que nenhum dos destaques de busca se referiu a temas tradicionalmente associados à agenda presidencial, como inflação, crescimento econômico ou desemprego”, observa Felipe Nunes, professor de Ciência Política na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e diretor da Quaest Pesquisa e Consultoria. E isso, de acordo com o especialista, não ocorre de maneira fortuita no jeito Bolsonaro de governar. 

Para o levantamento, a reportagem selecionou os pontos em que as buscas por Bolsonaro passaram dos 30 pontos na escala do Google - todos se concentravam, quando fizemos a coleta no começo de dezembro, no primeiro semestre. A posse marcou 100 pontos; o golden shower, 48. Em seguida, aparecem a vez que Bolsonaro comemorou a saída de Jean Wyllis do Brasil (40 pontos), quando comentou o projeto anticrime de dentro do hospital (33) e quando chamou manifestantes contra cortes na educação de “idiotas úteis” (31). (Veja o quadro com os detalhes).

“É estratégico. Está claro pra mim que Bolsonaro usa da sua retórica digital ou na imprensa para pautar a agenda semanal. Ele insiste em temas que dividem o eleitorado, que reafirmam sua posição perante os 30% que gostam do seu governo, e que o distanciam dos 30% que o rejeitam explicitamente”, explica Nunes.

O cientista político lembra que os presidentes norte-americanos usam dessa estratégia desde os tempos de Roosevelt: “O estudo clássico sobre esse assunto foi feito por Samuel Kernell em seu livro 'Going Public: New Strategies of Presidential Leadership'. Bolsonaro usa e abusa da estratégia de going public.

Por isso, o termômetro do Google Trends não pode ser confundido com “popularidade”. Entre os assuntos em ascensão relacionados às buscas por Bolsonaro estão “urofilia” e “Leonardo diCaprio”, de acordo com a plataforma. Ambos se relacionam a momentos em que o presidente se excedeu a ponto de apagar tuítes considerados ofensivos ou que envolviam fake news.

“É uma figura polêmica, com claros posicionamentos. Isso o torna um personagem interessante, não necessariamente amado ou odiado, mas sem dúvida nenhuma, um personagem falado por todos”, diz o professor.

Picos de interesse em buscas por Bolsonaro em 2019



30 Dez - 5 Jan - 100 pontos
Empossado, o presidente subiu ao púlpito no Palácio do Planalto, de onde fez seu primeiro discurso à nação. A primeira-dama, Michele Bolsonaro, teve a palavra antes dele, em quebra de protocolo e aceno simbólico às políticas inclusivas - Michele atua com tradução para Língua Brasileira de Sinais (Libras).

20 jan- 26 jan - 40 pontos
Depois de o parlamentar Jean Wyllys anunciar que deixaria o mandato na Câmara dos Deputados, em decorrência de ameaças de morte, Bolsonaro foi ao Twitter e publicou: "Grande dia!". Mais tarde, o presidente diria que, na verdade, se referia à conclusão da missão com Chefes de Estado em Davos, sua primeira viagem internacional.


3 fev - 9 fev - 33 pontos
Internado no hospital, o presidente despachou de um escritório improvisado, de onde tuitou para comentar o nascimento do projeto de lei anticrime do ministro Sergio Moro. Bolsonaro passou por cirurgia de reconstrução do trânsito intestinal, em função do atentado a faca que sofreu durante a campanha presidencial.

3 mar - 9 mar - 48
A repercussão do episódio do "Golden shower" rendeu o maior pico de buscas pelo nome do presidente desde a posse. Bolsonaro replicou, em sua conta no Twitter, um vídeo que mostrava dois homens durante o carnaval, praticando o chamado "golden shower": o governante criticava os costumes durante a "festa da carne". Depois que muitas pessoas contaram a ele que aquilo tinha um nome, ele voltou ao Twitter para perguntar " O que é golden shower?". Por conta disso, o primeiro assunto relacionado a Bolsonaro, em termos de buscas em ascensão, de acordo com o Google, até hoje segue "Urofilia", o termo técnico para a prática de urinar ou receber o jato urinário do parceiro sexual.

12 mai - 18 mai - 31
Em reação ao corte de 30% nas verbas repassadas às universidades federais, as ruas de todo o país foram tomadas por manifestantes. O presidente, instado a comentar, disse: "A maioria ali é militante que não tem nada na cabeça. Se perguntar sete vezes oito, não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. São uns idiotas úteis e uns imbecis que estão sendo usados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o lucro de muita universidade federal no Brasil".

(Fonte: Google Trends, dados coletados no começo de dezembro)

Assuntos relacionados em ascensão
Urofilia
Davos - Comuna na Suíça
Decreto - Assunto
Emmanuel Macron - Presidente da França
Leonardo DiCaprio - Ator

Consultas relacionadas
discurso bolsonaro onu
bolsonaro brumadinho
golden shower bolsonaro
bolsonaro davos


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade