Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

'Idiotas úteis', diz Bolsonaro sobre estudantes que saíram às ruas para manifestar nesta quarta-feira

Durante viagem aos Estados Unidos, presidente classificou os protestos contra o corte de verbas na educação como algo 'natural' e que a maioria dos manifestantes é 'militante'


postado em 15/05/2019 13:10 / atualizado em 15/05/2019 22:22

Bolsonaro chegou a Dallas na manhã desta quarta-feira (foto: Twitter/Reprodução )
Bolsonaro chegou a Dallas na manhã desta quarta-feira (foto: Twitter/Reprodução )

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) chamou de "idiotas úteis" e "massa de manobra" manifestantes que organizam nesta quarta-feira (15) uma série de protestos contra os cortes do governo na educação básica e no ensino superior. O presidente classificou os protestos como algo "natural" e disse que "a maioria ali (na manifestação) é militante". 

"A maioria ali é militante que não tem nada na cabeça. Se perguntar sete vezes oito, não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. São uns idiotas úteis e uns imbecis que estão sendo usados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o lucro de muita universidade federal no Brasil", afirmou o presidente, ao ser questionado sobre o assunto pela imprensa. 

Pelo menos 75 das 102 universidades e institutos federais do país convocaram protestos em resposta ao bloqueio de 30% dos orçamentos determinado pelo Ministério da Educação (MEC). Universidades públicas estaduais e privadas de diversos estados também engrossam o movimento.

Um dos alvos do protesto, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse nessa terça-feira que as universidades precisam deixar de ser tratadas como "torres de marfim" e não descartou novos contingenciamentos.

'Desarrumado'

 

Bolsonaro chegou na manhã desta quarta-feira a Dallas (EUA) em uma agenda improvisada e organizada às pressas pelo governo, depois de o presidente desistir de ir à cidade de Nova York. Ele participaria do prêmio de "personalidade do ano" concedido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos na noite de terça-feira (13). Mas a homenagem foi alvo de boicotes e críticas do próprio prefeito da cidade, Bill de Blasio, e Bolsonaro desistiu de ir. 


No Texas, Bolsonaro deve se encontrar com o ex-presidente George W. Bush e participar de um almoço com empresários, onde receberá formalmente o prêmio que não foi buscar em Nova York.

"Estamos sendo muito bem recebidos aqui e o objetivo nosso da viagem será alcançado: aprofundar cada vez mais os laços de amizade e também de cooperação comercial com esse país que eu sempre amei desde a minha infância", disse Bolsonaro, ao chegar nos Estados Unidos nesta quarta-feira.

Um dos apoiadores do presidente gritou "arruma o Brasil que a gente volta". A ele, Bolsonaro respondeu que o País está "bastante desarrumado", mas que iria "arrumar".


Publicidade