Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Queiroga: 'Não sou maquiador de dados, sou médico'

Ministro da Saúde foi questionado sobre os novos critérios para confirmação de mortes por COVID-19


24/03/2021 17:33 - atualizado 24/03/2021 20:51

O médico também garantiu que a meta do Ministério é triplicar a atual taxa de vacinação a curto prazo e chegar a vacinar 1 milhão de pessoas por dia(foto: Agência Brasil/Reprodução)
O médico também garantiu que a meta do Ministério é triplicar a atual taxa de vacinação a curto prazo e chegar a vacinar 1 milhão de pessoas por dia (foto: Agência Brasil/Reprodução)
Questionado sobre os novos critérios para confirmação de mortes por COVID-19, o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que que não partiu dele a ordem para incluir novos campos obrigatórios. A declaração foi feita durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta quarta-feira (24/03).

“Não houve nenhuma determinação minha no sentido de fazer qualquer tipo de alteração em notificações”, disse o ministro, que assumiu a vaga deixada pelo general Eduardo Pazuello. “A notificação vai ser a notificação que ocorre, notificação adequada”.

“Não sou maquiador, sou médico. Minha função não é maquiar, é salvar vidas”, completou o novo ministro.
 
Nesta quarta, o Ministério da Saúde anunciou novos critérios para confirmação de mortes por COVID-19.
(foto: Arte: Soraia Piva/EM/D.A Press)
(foto: Arte: Soraia Piva/EM/D.A Press)

Agora, a pasta começou a exigir informações como CPF, número do Cartão Nacional do SUS (CNS), a nacionalidade de pacientes infectados pelo vírus e histórico de vacinação. Todos esses campos inexistiam na versão anterior da ficha de confirmação, que é utilizada desde julho de 2020.

A nova ficha exclui algumas informações, como por exemplo, o histórico de viagem internacional.

No caso do CPF, a única exceção para essa obrigatoriedade é para os pacientes declarados indígenas na ficha.
 
 

Um milhão de pessoas vacinadas por dia 


O médico também garantiu que a meta do Ministério é triplicar a atual taxa de vacinação a curto prazo e chegar a vacinar 1 milhão de pessoas por dia.

De acordo com o ministro, o país está vacinando cerca de 300 mil pessoas por dia. A média, desde 18 de janeiro, quando começou a vacinação no país, está perto de 190 mil.

Queiroga também afirmou que sua posse no ministério foi feita de forma mais "íntima" porque o Brasil não tinha o que comemorar durante a pandemia.
 

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.


transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia
  • Em casos graves, as vítimas apresentam:
  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
  • Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade