Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Coronavírus: Ministério da Saúde autoriza uso da hidroxicloroquina em pacientes graves

Remédio utilizado no tratamento de malária, lúpus e artrite poderá ser usado no combate à COVID-19 a partir de sexta-feira (27)


postado em 25/03/2020 18:32

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)
A partir da próxima sexta-feira (27), pacientes graves que estejam infectados pelo novo coronavírus (COVID-19) poderão fazer uso da hidroxicloroquina. É o que garantiu o Ministério da Saúde, em coletiva na tarde desta quarta (25). De acordo com o órgão, 3,4 milhões de unidades do medicamento, que é utilizado no tratamento de malária, lúpus e artrite, serão disponibilizadas.

Apesar da liberação, haverá regras para a utilização da cloroquina. Serão cinco dias de tratamento, que será monitorado por um médico, uma vez que o uso do medicamento pode surtir efeitos colaterais, como cegueira. Um protocolo específico foi elaborado pelo Ministério da Saúde.

“O que o Ministério da Saúde está fazendo é deixar no arsenal, deixar à mão do profissional médico. Se ele entender que o paciente grave pode se beneficiar, o que vamos fazer é deixar esse remédio ao alcance dele”, disse o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta.

A pasta da saúde frisou na coletiva que a cloroquina é capaz de ter ações mais eficazes em pacientes graves, ou seja, aqueles que tiverem sintomas leves não devem fazer uso do medicamento.

De acordo com o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, são 2.433 casos confirmados do coronavírus no Brasil, com 57 mortes. A pasta informou ainda que repassará, nos próximos dias, R$ 600 milhões para os estados.
 

O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.
 

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia


Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:


Publicidade