Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Argentina detecta 4 casos de variantes brasileiras do vírus da COVID-19

País está com fronteiras fechadas para turistas estrangeiros, inclusive brasileiros, até 28 de fevereiro


08/02/2021 10:54

Governo argentino ressalta necessidade de vigilância permanente(foto: Ina FASSBENDER / AFP)
Governo argentino ressalta necessidade de vigilância permanente (foto: Ina FASSBENDER / AFP)

O governo da Argentina confirmou nesta segunda-feira (8) a detecção de quatro casos do novo coronavírus ligados a variantes surgidas no Brasil.
    
Em seu perfil no Twitter, o ministro da Saúde, Gines González García, disse que tratam-se de dois contágios pela variante P.1, que emergiu no Amazonas, e dois pela variante P.2, identificada pela primeira vez no Rio de Janeiro.
    
"Recentemente, detectou-se a variante do Amazonas P.1 em duas amostras e a variante do Rio de Janeiro P.2 em outros dois viajantes. Todos eles provenientes do Brasil", escreveu García.
    
Segundo o ministro, isso reitera a "importância de uma vigilância epidemiológica genômica para monitorar a introdução" de mutações do coronavírus Sars-CoV-2 na Argentina.
    
As duas variantes brasileiras são objeto de análise da comunidade científica, que suspeita que elas sejam mais contagiosas e dificultem a ação de anticorpos, embora não necessariamente mais letais.
    
A Argentina está com fronteiras fechadas para turistas estrangeiros até 28 de fevereiro e permite o acesso apenas a pessoas residentes no país. (ANSA).

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte. 

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade