UAI
Publicidade

Estado de Minas IMUNIZAÇÃO INFANTIL

Menina de 10 anos comemora a primeira dose da vacina contra COVID, em BH

Vacinação do público prioritário, de 5 a 11 anos, está ocorrendo em escolas municipais da capital, nesta terça (18/1)


18/01/2022 11:21 - atualizado 18/01/2022 14:32

Estudante Maria Alice Júlia de Andrade, de 10 anos, comemora a aplicação da vacina após tanta espera
Estudante Maria Alice Júlia de Andrade, de 10 anos, comemora a aplicação da vacina após tanta espera (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Belo Horizonte segue vacinando contra a COVID-19  crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiência permanente, indígenas, quilombolas, acamadas ou com mobilidade reduzida, nesta terça-feira (18/1).
 
Em Contagem, na Região Metropolitana da capital, a vacinação das crianças começou nesta terça e a primeira imunizada foi Maria Eduarda Barbosa, de 8 anos, quilombola e descendente da comunidade dos Arturos.
 
De acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), é necessário estar acompanhado dos pais ou responsáveis legais e  levar documento de identidade ou certidão de nascimento, CPF, comprovante de residência em Belo Horizonte e da comorbidade.
 
O horário de vacinação nesta terça-feira (18/1) é das 9h às 16h. Os endereços podem ser verificados no portal da Prefeitura. 
 
Crianças chegando com seus pais para poder tomar o imunizante
Vacinação contra COVID-19 para crianças (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
 
 
A estudante Maria Alice Júlia de Andrade, de 10 anos, comemorou na hora de receber a vacina. "Fiquei feliz depois de esperar muito tempo para poder tomar esta vacina." 

"Para mim, a vacina ajuda a contribuir para o fim da pandemia, do isolamento social e as pessoas correm menos risco de se contaminar e ficar muito doentes", diz Maria Alice.  
 
Para ela, mesmo tomando as doses, todos devem continuar a usar máscara, álcool em gel e lavar as mãos. "Devemos seguir com os cuidados por um bom tempo", avalia, apesar da pouca idade.
 
Quanto à volta as aulas presenciais com segurança, em fevereiro, a estudante disse que, se todo mundo seguir os protocolos da forma correta, se vacinar e mantiver os cuidados, dá para ir a escola de forma mais segura sim. "Eu ja estou estudando presencial desde o ano passado e como lá todo mundo seguiu as regras, vamos poder continuar indo a escola", afirma.

Maria Eduarda Barbosa, de 8 anos, quilombola da comunidade dos Arturos é a primeira vacinada em Contagem
Maria Eduarda Barbosa, de 8 anos, quilombola da comunidade dos Arturos é a primeira vacinada em Contagem (foto: Janine Moraes/Divulgação)


A Prefeitura reforça que as pessoas convocadas devem se vacinar nos locais listados para cada grupo e sempre checar os endereços, disponibilizados no portal da Prefeitura, antes de se deslocar aos pontos de imunização.
 
A Secretaria Municipal de Saúde orienta que o usuário se vacine no dia da convocação. Caso a pessoa se dirija às unidades em data posterior, está sujeita a enfrentar filas, já que os pontos de repescagem estão distribuídos em uma unidade por regional e por tipo de vacina.
 
*Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz 
 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação.
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara? Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina? Posso beber após vacinar? Confira esta e outras perguntas e respostas sobre a COVID-19.

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade