UAI
Publicidade

Estado de Minas COMÉRCIO

Multidão toma o Centro de BH em último fim de semana antes do Natal

A vacinação, que derrubou casos e mortes por COVID-19, e o espírito natalino para presentear, incentivam as compras


18/12/2021 14:14 - atualizado 18/12/2021 14:14

Multidão de consumidores transitando com sacolas e máscaras pela Rua dos Carijós para compras natalinas
Consumidores lotam passeios e ruas do centro de BH para as compras de Natal (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)
O último fim de semana antes do Natal começou neste sábado (18/12) fazendo os passeios e ruas dos principais centros comerciais de Belo Horizonte pulsarem com grande movimento. No Centro de BH, os esforços publicitários de entidades e comerciantes trazem o clima de Papai Noel e as sacolas se multiplicam nas mãos da população.

A maioria encontrada pela reportagem diz que os valores gastos ainda não são tudo aquilo que gostariam. "Mas pelo menos uma lembrança a gente quer levar para todo mundo, principalmente as crianças", disse a professora Ana Paula Fernandes, de 44 anos, que aproveitou o clima natalino para compras e diversão imersa nos mineirismos do Mercado Central.

No Hipercentro da capital mineira, os principais quarteirões comerciais experimentaram grande movimento. Graças a Deus hoje está indo tudo bem. A expectativa é melhor, ainda que estejamos em um momento crítico, de preços altos nos custos de vida das pessoas. Esta semana antes do Natal é um termômetro. Do dia 20, em diante, um outro com a entrada do 13º. Percebo que os consumidores estão ficando mais animados e levando pelo menos uma lembrancinha para as pessoas que amam", afirma Zena Kobaissi, gerente de uma loja de artigos infantis e de recém nascidos.

Zena Kobaissi, gerente de uma loja de artigos infantis e de recém nascidos durante as compras de natal no centro de BH na semana que antecede a data
Zena Kobaissi, gerente de uma loja de artigos infantis e de recém nascidos sente a confiança dos consumidores (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)
Esse otimismo e a busca pelas ofertas se fazem visíveis sobretudo nos quarteirões das ruas São Paulo, dos Carijós e Curitiba, nos arredores da Galeria do Ouvidor, onde os passeios mal comportam os grande número de pessoas e suas sacolas de compras, ambulantes, vendedores com microfones tentando capturar quem busca ofertas.

São rios de pessoas que de tão caudalosos invadem o pavimento das ruas e impactam na fluidez do trânsito. E não são apenas eles, as buscas pelas compras de Natal também levaram mutos motoristas a parar em áreas de carga e descaga, obrigando entregadores em seus lentos veículos de carga e até caminhões fortes a ter de parar em filas duplas propagando os congestionamentos pela área central.

Policiais fazem segurança e revistam suspeitos para dar segurança no Natal Multidão de consumidores transitando com sacolas e máscaras pela Rua Curitiba para compras natalinas
Policiais fazem segurança e revistam suspeitos para dar segurança no Natal (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)
Outro fator que encoraja os consumidores é a presença ostensiva de policiais militares destacados para a Operação Natalina. De longe, os grupos são avistados em rondas com seus coletes amarelos luminescentes, abordando suspeitos e garantindo coberturas coordenadas pelas câmeras de vigilãncia da Polícia Militar de Minas Gerais.

Entre as sacolas com brinquedos para as crianças e artigos para suas casas, como cortinas, vasos para plantas ornamentais e outros, as gêmeas Lorena Amaral Silva, auxiliar administrativa e a recepcionista Loyrane Tamiris Amaral Silva, ambas de 28, deixaram Betim, na Grande BH, para fazerem compras de Natal no Centro da capital.

As Gêmeas Lorena Amaral Silva, auxiliar administrativa e a recepcionista Loyrane Tamiris Amaral Silva, ambas de 28, deixaram Betim, na Grande BH para fazerem compras de Natal no Centro da capital
As gêmeas Lorena e Loyrane Tamiris Amaral Silva, de 28, deixaram Betim, para compras de Natal no Centro de BH (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)
"Vai ter ceia na casa da nossa tia, no Bairro Caetano Furquim, em BH. Vem gente demais. Primos, sobrinhos, amigos, vizinhos. Vai ser de casa cheia, para umas 35 pessoas", disse Lorena. "Esse ano queremos começar vida nova. Perdemos pessoas queridas, amigos e vizinhos. Por isso é importante estar no Natal com quem amamos e valorizar isso", afirma Loyrane.

Do dia 22 em diante vai ter festa farta em Lontra, distrito de Montes Claros, no Norte de Minas. pelo menos é o que prometem as sacolas repletas de presentes da família Soares, que mora no Céu Azul, Região da Pampulha, mas que já programa a festa tradicional familiar na roça para mais de 50 pessoas.

Gracy Lina Soares, de 37, que foi com o marido e os três filhos para as compras na Rua dos Carijós no último fim de semana antes do Natal
Gracy Lina Soares, de 37, com o marido e os três filhos busca presentes para a família em Natal no Norte de Minas (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)
"Graças a Deus na nossa família ninguém morreu pela doença, mas ficamos muito tristes, com muito receio. Não está ainda 100%, mas o Natal é importante para a família. Vamos levar agrados para o máximo que pudermos e renovar essa esperança", disse a babá Gracy Lina Soares, de 37, que foi com o marido e os três filhos para as compras e está pronta para a ceia, mesmo tendo de enfrentar 8 horas de viagem.

No tradicional Mercado Central de BH, as compras de Natal se misturaram aos turistas de fora, experimentando quitutes e iguarias mineiras, e os belo-horizontinos que moram fora, ávidos por reencontrar suas tradições. As professoras Ana Paula Fernandes, de 44, e Andréia Pereira, de 47, não só fizeram o evento de encontro de fim de ano lá, como ainda aproveitaram para tirar fotos com o Papai Noel que distribuia gentilezas e bons desejos pelos corredores repletos de clientes e mercadorias.

As professoras Ana Paula Fernandes, de 44, e Andréia Pereira, de 47, aproveitam o clima natalino no Mercado Central vacinadas e ao lado do papai Noel estão mais tranquilas para celebrar e presentear
As professoras Ana Paula Fernandes, de 44, e Andréia Pereira, de 47, aproveitam o clima natalino no Mercado Central (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)
"Este Natal, infelizmente, vai estar mais triste, pois perdi um tio que era o pai da família. Mas é imprescindível estar com todos eles neste fim de ano", disse Andréia. "Como estamos vacinadas e está chegando a data da terceira dose, temos mais sossego para encontrar a família e vir a locais mais cheios para as compras. Seria impensável fazer o mesmo no natal de 2020", compara Ana Paula.

Entidades como a Câmara de Dirigentes Lojistas de belo horizonte (CDL-BH) apostaram alto nas ações de promoção do comércio. São papais noéis e caminhões natalinos com músicas, ofertas e mensagens com o espírito fraterno da data contagiando as pessoas por onde passam.

"Envolver a capital mineira em um clima de esperança, positividade, crescimento econômico e convívio social. Esses são os principais objetivos das ações natalinas que a CDL-BH tem realizado neste mês de dezembro na capital mineira, que tiveram início no último dia 09 e seguem até o próximo dia 31. As praças Sete e da Savassi ganharam decorações especiais com bolas gigantes iluminadas por luzes de led. Nosso papai Noel também está com uma programação em cada regional", informa a entidade.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade