UAI
Publicidade

Estado de Minas

Depois do isolamento social, um Dia das Crianças mais feliz

Após tanto tempo sem contato com os amiguinhos por causa da pandemia, este 12 de outubro promete ser bem melhor do que em 2020 para os pequenos


12/10/2021 06:00 - atualizado 12/10/2021 07:34

Alunos
Arthur, Maira, Kaio, Maria Eduarda, Sofia e Lara, alunos da Escola Municipal Doutor Júlio Soares, no Bairro Granja de Freitas, na Região Leste de BH, posam em frente ao mural de boas-vindas, criado por Ednaldo da Silva, monitor da escola (foto: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Brincar é o verbo do dia: se for na primeira pessoa do singular, tudo bem; agora, se conjugado no plural, melhor ainda. Em casa, no quintal, nas praças ou nos parques, o dia é das crianças, de meninos e meninas que transformam sofá em esconderijo, boneca em amiguinha e qualquer brinquedo em “show de bola”, fazendo a alegria encher este mundo. Invenção é o que não falta. Depois do longo período “de molho”, devido à pandemia, a garotada sai das restrições sanitárias para curtir os novos tempos com um pouco mais de liberdade.

Assim também é na volta às escolas municipais: mesmo com distanciamento, está na hora de matar a saudade de professores, colegas e sala de aula. E a expectativa agora é pela chegada da vacina ao braço infantil – no sábado, a turma de 12 anos recebeu a primeira dose, em Belo Horizonte.

No universo da garotada, realidade e imaginação se encontram a cada segundo. Um longo, colorido e criativo mural, recriando cenas do cotidiano infantil se destaca no pátio da Escola Municipal Doutor Júlio Soares, no Bairro Granja de Freitas, na Região Leste de Belo Horizonte. Foi com este trabalho artístico de boas-vindas que os 850 alunos de três turnos, do primeiro ao nono ano (6 a 14 anos) do ensino fundamental, foram recebidos para as aulas presenciais. E teve estudante bem esperta que, logo de cara, notou o reflexo dos novos tempos. “Olha como tem aí o distanciamento”, observou Sofia Lana de Jesus, de 10, ao ver que, mesmo na pintura (criada por Edinaldo da Silva, monitor da escola e morador da comunidade), ninguém mais pode ficar pertinho como antes. Há espaço entre crianças, livros, objetos e personagens de histórias.

 Maira
Maira Luiza Rodrigues, 11 anos, aluna do quinto ano: "Precisamos aproveitar muito este Dia das Crianças, porque ano passado foi difícil para todos" (foto: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Para saudar a data de hoje, e falar dos novos tempos, seis alunos (cinco do quinto ano e um do quarto ano) da escola puseram mãos à obra, diante de cartolinas brancas, e, especialmente para esta reportagem, desenharam e escreveram mensagens às crianças de todo mundo. Para os escritos ganharem mais amplitude, teve até palavras em inglês.

Depois, diante do mural, a turma mostrou os trabalhos e recebeu nota 10 da diretora Édila Caetano da Silva. “Nunca perdemos o contato com eles. Durante todos esses meses sem aula presencial, conversamos virtualmente e algumas vezes até por meio de cartas”, explicou a pedagoga. Na sexta-feira, antecipando as comemorações, a garotada teve festa-surpresa, com apresentação de mágico. Quem quer presente melhor?

Arthur
Arthur Fernando Oliveira da Silva, 10 anos, aluno do quinto ano: "Quero voltar a escrever bonito. Nesse período em que fiquei sem aula, minha letra ficou muito feia" (foto: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Com a palavra, portanto, as estrelas do dia. Na sala de aula, os meninos capricharam nas mensagens e, entre um desenho e outro, bateram um papo com o repórter. “Precisamos aproveitar ao máximo este Dia das Crianças, pois no ano passado foi bem difícil”, avisou Maira Luiza Rodrigues, de 11 anos. Para ela, o melhor de retornar à escola está em rever professores e colegas. “Estou muito feliz, pois, sem as restrições, podemos ficar mais tranquilos. Gosto muito de estudar, de ler... até no sábado.”

A colega Lara Helen Alves Silva Vitor, da mesma idade, lembrou que aprender torna a vida bem melhor, mas não se esqueceu de um momento muito importante no período escolar: o recreio. “É nesse momento que podemos conversar mais. Hoje está tudo diferente, não podemos abraçar ninguém”, revelou a garota que já escolheu a futura profissão: ser professora. No Dia das Crianças, assim como nos momentos de folga, acredita a garota, a ordem é divertir, passear com a família, sem perder o foco nos livros e cadernos.

Na carteira, Arthur Fernando Oliveira da Silva, de 10, surpreendeu: “Quero voltar a escrever bonito. Longe da escola, minha letra ficou muito feia”. A diretora ouviu o comentário e falou do interesse de Arthur e demais colegas pelos estudos. “Havia aquela ansiedade natural, alguns vinham até a porta da escola. Agora, a dinâmica é outra em todos os aspectos, da alimentação ao uso do banheiro”, afirmou Édila.

Sofia
Sofia Lana de Jesus, de 10 anos, aluna do quinto ano: "Esse tempo todo me deixou preocupada. Agora fico feliz, pois, aos poucos, a vida volta ao normal" (foto: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Onde tem criança tem movimento, ainda mais na escola. O reencontro com os colegas representa muito, lembrou Maria Eduarda Cardoso dos Santos, que também sentiu muita falta dos professores. E Sofia Lana de Jesus, bem-humorada, garantiu que, além de estudar, gosta de “rodar carteira”. Não custa perguntar do que se trata: “Ah...é conversar com os colegas, sair para o recreio. Nesses tempos, a gente fica muito preocupada”, respondeu.

Compenetrado no seu desenho, Kaio Ávila da Silva, de 10, aluno do quarto ano, também disse gostar do ambiente escolar. Mas, afinal, Dia das Crianças é Dias das Crianças, e vale a pena brincar com os amigos e ficar em família. Caprichando no desenho de um coração e de uma nuvem, Kaio mostrou que, para as crianças, o céu é o limite e o tempo maior do que o próprio mundo.

Depois de escrever e desenhar, Maira, Lara, Arthur, Maria Eduarda, Sofia e   Kaio fizeram uma pose especial diante do mural da escola. Foi aí que falaram do presente, do futuro e dos planos. Reafirmando o desejo de ser professora, Lara contou que, durante o período em que ficou em casa, aproveitava para dar aulas para um amiguinho. “A gente aprende até brincando. E ensinar, melhor ainda.”

Arthur, que gosta de desenhar, já decidiu que terá uma carreira ligada às artes ou ao esporte, enquanto Maira pretende ser modelo ou policial. “O sonho da minha avó, Aparecida, é ter um neto ou uma neta militar”, explicou. Já o Kaio sonha em ser bombeiro, espelhando-se no exemplo de um tio.
Pensando em ser psicóloga ou fotógrafa, por tem um primo nessa segunda profissão, Sofia está satisfeita porque a vida está voltando ao normal. E para homenagear todas as crianças do planeta, escreveu no seu cartaz, em inglês: “Yes, Kids” (Sim, crianças).

A preocupação com o mundo está na cabeça de Maria Eduarda. “Quero ser médica, cuidar das famílias. Viver sem as restrições da pandemia significa liberdade”. Depois da frase, Maria Eduarda levantou o dedo em sincronia com os colegas. É que, nesse momento, o repórter perguntou ao grupo: “E quem quer tomar vacina?” Em silêncio e com um sorriso, a garotada mostrou que deseja neste dia, mais do que qualquer brinquedo e diversão, muita saúde para todos.

Conforme a Secretaria Municipal de Educação, há, em Belo Horizonte, cerca de 200 mil estudantes atendidos nas 323 escolas municipais e nas 214 creches parceiras. Todas as escolas estão funcionando e, até agosto, a adesão das famílias ao atendimento presencial estava em torno de 55%.

No fim deste mês, os dados serão atualizados, de acordo com a ampliação do número de adesão. O retorno das atividades presenciais ocorreu de forma gradativa e foi sendo ampliado conforme os protocolos de segurança.  


Muitas opções para a criançada

Oficinas, exposições, brincadeiras e parques. O Estado de Minas selecionou diversas boas opções de programas para a diversão da criançada neste feriado. Confira abaixo:

Castelo inflável no BH Shopping

O maior castelo inflável da América Latina está no estacionamento do piso Mariana, do BH Shopping, até o dia 17 de outubro. São 2.500 m² com pula-pula, enormes escorregadores, estruturas de escalada, pistas de obstáculos, tabelas de basquete e muito mais. Gigante no tamanho e na experiência, o Jump Around é uma atração para as famílias.
 A brincadeira é embalada por música e guiada por monitores que acompanham e guiam a diversão.
l Ingressos: A partir de R$ 40

Aula de skate no Minas Shopping

O Minas Shopping trará, a partir de hoje, o projeto Academia do Skate, com aulas gratuitas do esporte.
As oficinas esportivas são organizadas em baterias de 20 a 30 minutos, com capacidade máxima de 11 participantes por vez. As atividades são supervisionadas por profissionais e instrutores. Os participantes devem estar com calçado fechado,  e os menores de 18 anos acompanhados do responsável. Além do skate, o projeto disponibilizará gratuitamente os outros equipamentos necessários.
l Horário: Das 14h às 20h
l Ingressos: gratuitos

Parque Temático Boris e Rufus

O parque temático Boris e Rufus, no Boulevard Shopping, é uma imersão nos cenários da animação. Após passar pela bilheteria, as crianças já iniciam a aventura ao entrar no evento pela casa do Enzo, o tutor do Boris e Rufus. Dentro do espaço há inúmeras atrações, como o tombo legal da Piscina da Yuko, área do Samurai de gelo, além da casinha do Rufus, com um grande tobogã e escorregador em espiral.
A diversão também está garantida em uma área especial para pets.
l Ingressos:  a partir de R$ 25
l Horário: Das 14h às 20h.  


Festival Kids BH

A turma da Patrulha Canina, as bonecas da LOL Surprise, as irmãs Elza e Anna e a família de tubarão Baby Shark prometem animar a família  no 4º Festival Kids BH na Floresta, que ocorre no Bairro Luxemburgo, hoje. O espaço contará com tirolesa, cama elástica, paredão para escalada, campinho de futebol, além de piscina de bolinhas, discoteca, fliperamas e outras atividades.  
l Local: Rua Gentios, 740
l Ingressos: a partir de R$ 37,50

Parque da Turma da Mônica

O “Castelo do Terrir” da Turma da Mônica elegeu o centro comercial do Shopping Estação para sua estreia nacional.  A atração inédita terá uma estrutura de lazer composta por seis operações divertidas e super interativas.
l Ingressos: a partir de R$ 20
l Horário: de 11h às 22h.

Museu dos Brinquedos

O Museu dos Brinquedos oferece a oficina 'Vulcão e mistura mirabolante', e a exposição 'Tempo será – Histórias e memórias do brincar' com inspiração no tradicional brinquedo 'O Pequeno Construtor'.
O espaço ainda conta com um pátio de brincadeiras para juntar a família para se divertir.  
l Local: Av. Afonso Pena, 2564, Funcionários
l Horário: Grupo 01:
das 11h às 13h – capacidade máxima 45 visitantes.
Grupo 02: das 15h às 17h – capacidade máxima 45 visitantes.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade