UAI
Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS EM BH

Transmissão da COVID-19 em BH volta a ficar em alerta após quase um mês

Fator RT estava na fase de controle desde o dia 20 de agosto. Ocupação de leitos de UTI e de enfermaria também apresentaram aumento nos números


15/09/2021 20:26 - atualizado 15/09/2021 20:48

Belo Horizonte teve mais uma alta na transmissão da COVID-19
Belo Horizonte teve mais uma alta na transmissão da COVID-19 (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
A transmissão da COVID-19 em Belo Horizonte voltou à fase de alerta amarelo após ficar quase um mês representada na cor verde, que significa controle. Isso porque, nesta quarta-feira (15/9), o indicador atingiu 1,00, o maior nível em 26 dias.

LEIA TAMBÉM:  BH aplica 2ª dose em pessoas de 55 anos nesta quinta (16); veja locais

Além disso, o informe divulgado pela prefeitura indicou aumento na demanda de leitos de terapia intensiva e de enfermaria.

A transmissão, também chamada de Fator RT, já estava mostrando tendência de aumento nos últimos boletins divulgados pela prefeitura.

Entre sexta (10/9) e terça-feira (14/9), o indicador saltou de 0,86 para 0,96, até chegar em 1,00 nesta quarta. No patamar atual, cada grupo de 100 pessoas infectadas pelo novo coronavírus o transmite, em média, para mais 100 moradores de BH.

Dois dos três indicadores seguem em controle, mas UTI fica próximo do alerta, estado em que a transmissão se encontra
Dois dos três indicadores seguem em controle, mas UTI fica próximo do alerta, estado em que a transmissão se encontra (foto: Janey Costa/EM/D.A Press)
Aumento, também, no indicador que afere a ocupação de leitos de terapia intensiva para pacientes com COVID-19 em BH. O índice saiu de 45,3% para 49,8%, ficando muito próximo do alerta amarelo, representado entre 50% e 70%.

No entanto, o boletim informou que houve redução de oferta em vagas UTI COVID e aumento na UTI não-COVID, tanto na rede pública quanto na privada.

O mesmo comportamento foi visto em relação aos leitos de enfermaria para pacientes com COVID-19 em BH: teve baixas em vagas COVID e aumento em camas para não-COVID, nas redes pública e privada.

Isso fez com que a ocupação em unidades para pessoas com coronavírus subisse de 29,6% para 32,4%, longe do alerta amarelo, representado pelo mesmo percentual do indicador de terapia intensiva.

Casos e mortes

O número de casos novos não foi atualizado pela Secretaria Municipal de Saúde por problemas no sistema. Belo Horizonte já registrou 278.275 pessoas com COVID-19. Já em relação às mortes, houve sete vidas perdidas acrescidas ao informe, totalizando, desde o começo da pandemia, 6.628 óbitos na capital mineira.

Vacinação


Belo Horizonte já aplicou 1.934.100 primeiras doses desde o começo da campanha de vacinação contra a COVID-19. Já as doses que completam o esquema foram  aplicadas 1.070.734 unidades. Também foram utilizadas 59.227 doses da vacina fabricada pela Janssen, de dose única. Além disso, 13.110 doses de reforço já foram aplicadas.

Nas últimas 24 horas, foram registradas 24.671 aplicações de vacinas em BH. O balanço mostra que 84,8% do público-alvo já recebeu a primeira dose, enquanto 48,1% recebeu a segunda dose.

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre  sintomas prevenção pesquisa  vacinação .
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara?  Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina?   Posso beber após vacinar?  Confira esta e outras  perguntas e respostas sobre a COVID-19 .

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade