Publicidade

Estado de Minas UNIÃO SOLIDÁRIA

Projeto incentiva plantação de hortas em comunidades carentes

Projeto Quitanda Solidária visa doar cestas agroecológicas e, ao mesmo tempo, ajudar as famílias a produzirem seu próprio alimento saudável


10/06/2021 09:48 - atualizado 10/06/2021 12:20

Horta implantada em Comunidades de Minas Gerais(foto: Milena do Carmo/Instituto Kairós/Divulgação)
Horta implantada em Comunidades de Minas Gerais (foto: Milena do Carmo/Instituto Kairós/Divulgação)
A pandemia da COVID-19 provocou a perda de empregos e de renda de muitas famílias. Com isso, os índices de fome aumentaram no Brasil. Para tentar melhorar esta situação, o Instituto Kairós, entidade civil sem fins lucrativos, criou uma ação chamada “Quitanda Solidária”, que faz a doação de cestas de alimentos colhidos diretamente do produtor e incentiva a implantação de hortas nas comunidades carentes de Minas.
 
Segundo a fundadora do Instituto Kairós, Rosana Bianchini, a ideia  da criação desta ação veio depois que constatou que os alimentos produzidos pelos agricultores estavam sobrando e perdendo, enquanto na mesa das famílias estava faltando comida.

“A partir daí, criamos a ponte entre estes dois lados, para unir e beneficiar a todos”, afirma a fundadora do instituto.
 
Entrega das cestas de alimentos doados as famílias de comunidades em Minas Gerais(foto: Instituto Kairós/Divulgação)
Entrega das cestas de alimentos doados as famílias de comunidades em Minas Gerais (foto: Instituto Kairós/Divulgação)
Cada cesta contém no mínimo cinco quilos de alimentos, composta por oito a dez itens agroecológicos variados: verduras, legumes, frutas, temperos e tubérculos com capacidade para alimentar e suprir as necessidades nutricionais de quatro pessoas por uma semana.

Tudo é produzido de forma sustentável, por pequenos produtores de Brumadinho, Nova Lima e região. 
 
Colheita dos alimentos, plantados nas hortas das comunidades(foto: Milena do Carmo- Instituto Kairós/Divulgação)
Colheita dos alimentos, plantados nas hortas das comunidades (foto: Milena do Carmo- Instituto Kairós/Divulgação)
De acordo com Rosana, este projeto, além de doar alimentos saudáveis para as famílias, ajuda também na criação da própria horta dentro das comunidades.

“A principal função da ação é promover a soberania alimentar, que significa dar a possibilidade das comunidades gerarem seu próprio alimento, decidir o que querem comer, como vão produzir e o que querem consumir. Visto que é um direito de todos”, ressalta Rosana.
 
A primeira horta comunitária foi implantada no Bairro Água Limpa, em Itabirito, em parceria com o Projeto Socioeducativo C.A.B.A.L. Por lá, os moradores já começaram a colher seus próprios alimentos. 
 
Rosana Oliveira Galdino, fundadora e presidente da C.A.B.A.L, diz que a horta mudou a vida das famílias, pois as pessoas estão aprendendo a plantar e comer melhor.

“O Instituto traz as mudas, leva a mão de obra ensinando, e a comunidade plantando. Acho lindo, porque entra também a terapia ocupacional, tem pessoas que fazem tratamentos psiquiátricos e, indo a horta, conseguem se distrair enquanto cuidam dos alimentos e ainda fazem amizades.”
 
Além de Itabirito, a ação é realizada também na comunidade de Várzea do Sítio, em Raposos, que recebe as cestas por meio do apoio da Casa de Gentil. Já em Belo Horizonte, a distribuição é feita no Aglomerado da Serra em parceria com a Associação Comunitária de Moradores da Vila Cafezal e do Centro Cultural Lá da Favelinha. 
 
Em Brumadinho, elas são distribuídas no distrito de Casa Branca em parceria com a Associação Comunitária do Parque das Águas, em Piedade do Paraopeba, e para o Asilo Lar de Idosos Padre Vicente Assunção, na sede do município.

A ação está presente também em Nova Lima. No município, a distribuição é realizada em Macacos, pelo próprio Kairós, que tem sede na comunidade.
 
Rosana Bianchini conta que as doações das cestas são feitas de acordo com o dinheiro que arrecadam com as doações, através da plataforma do instituto. "Assim conseguimos comprar os alimentos dos produtores e distribuir nas comunidades.” 
 
Para quem desejar doar, o valor mínimo é R$25, que pode ser feito através do site, mas há também a opção para quem quiser se tornar um assinante e colaborar com doações mensais.

Uma única doação contribui para a alimentação saudável de famílias, o escoamento da colheita de pequenos produtores locais, a manutenção de práticas produtivas sustentáveis, autonomia das comunidades e o desenvolvimento local.
 
“Quando as comunidades conseguem os locais para implantação das hortas, ganham autonomia para produzir o próprio alimento e, ao invés de doarmos as cestas, passamos a realizar semanalmente assessoria técnica para o cultivo agroflorestal. Com isto, conseguimos direcionar as doações para outras novas comunidades que estão necessitando dos alimentos dando oportunidade a mais famílias serem beneficiadas.”, explica a fundadora.

Nesta sexta-feira (11/6), o Instituto implantará mais uma horta, desta vez no Aglomerado da Serra, a partir das 8h. Também será realizada a doação de cestas para as famílias, até que os alimentos da nova horta começem a dar frutos e possam ser consumidos.
 


 *Estagiária sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira
 
 
 
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade