Publicidade

Estado de Minas MISTÉRIO

Corpo de homem é encontrado queimado em cafezal de Rio Paranaíba

Crime é tratado como latrocínio inicialmente, mas, segundo a Polícia, ainda há elementos que precisam ser esclarecidos


14/04/2021 11:52 - atualizado 14/04/2021 12:08

O cafezal fica no distrito de Chaves(foto: Júlio Cesar/Tô na Mídia CP/Divulgação)
O cafezal fica no distrito de Chaves (foto: Júlio Cesar/Tô na Mídia CP/Divulgação)
O corpo de um homem foi encontrado parcialmente carbonizado  em uma lavoura de café no município de Rio Paranaíba. Apesar de não ser possível verificar sinais de violência no cadáver, o caso é tomado inicialmente como latrocínio. O carro da vítima estava no local, queimado.

Um funcionário encontrou o corpo enquanto trabalhava e avisou a gerência da fazenda, que fica no distrito de Chaves. A Polícia Militar foi acionada. No local ainda estavam a documentação do homem, identificado como Sandro Gonçalves de Oliveira, de 51 anos. O carro era uma Parati.
A perícia Polícia Civil não conseguiu apontar sinais de violência no corpo, por causa das queimaduras. Contudo, o corpo foi encaminhado para o Instituo Médico Legal na cidade vizinha de de Patos de Minas para necropsia. O trabalho vai buscar identificar a causa da morte.

Sandro Oliveira vinha de Arapuá, a menos de 40km de distância de Rio Paranaíba.

Latrocínio

A Polícia Militar conseguiu entrar em contato com a esposa da vítima. A tese inicial é de assassinato para roubo, porque a mulher informou que no último dia 9 de abril o marido fez uma ligação dizendo que não planejava sair de casa, mas foi convencido e marcou um encontro com uma pessoa com quem estava ao telefone. Sandro Oliveira não informou do que se tratava.

Já na manhã do dia 10 de abril, ele viajou com destino a João Pinheiro e não houve mais contato com a família. ELe levava cerca de R$ 4 mil em dinheiro, valor que não foi encontrado junto ao corpo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade