Publicidade

Estado de Minas OFÍCIOS

Setores de alimentação e beleza pedem a Uberaba abertura aos fins de semana

Novo decreto municipal chegou a sofrer alteração na última sexta (12/2), autorizando novamente a realização aos sábados e domingos somente das atividades religiosas


18/02/2021 20:35 - atualizado 18/02/2021 22:40

A prefeita de Uberaba, Elisa Araújo, juntamente com o seu Comitê Técnico Científico de Enfrentamento à COVID-19, informam que, por enquanto, não há previsão de outras mudanças no decreto em vigência (foto: Prefeitura de Uberaba/Divulgação)
A prefeita de Uberaba, Elisa Araújo, juntamente com o seu Comitê Técnico Científico de Enfrentamento à COVID-19, informam que, por enquanto, não há previsão de outras mudanças no decreto em vigência (foto: Prefeitura de Uberaba/Divulgação)

 

Em Uberaba, no Triângulo Mineiro, os sindicatos dos setores de beleza e alimentação protocolaram ofícios com pedidos para aberturas desses segmentos aos finais de semana. Mas a prefeitura da cidade informou por meio de nota à reportagem que ainda não há deliberação do Comitê Técnico Científico de Enfrentamento à COVID-19 nesse sentido e, por enquanto, não há previsão de outras mudanças no decreto em vigência.  
 
 
Por outro lado, dois dias após determinar novo decreto (222/2021) com fechamento de comércios, bares, restaurantes, shoppings, salões de estética e beleza, barbearias, cabeleireiros, entre outros estabelecimentos, aos sábados e domingos, durante 15 dias, a prefeitura da cidade alterou o decreto na última sexta-feira (12/2) e autorizou novamente a realização de atividades religiosas nos finais de semana.  
 
Diante disso, o presidente do Sindicato dos Institutos de Beleza de Uberaba, Paulo Siqueira e o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sinhores) de Uberaba, Frederico Masson, além de outros comerciantes, demonstraram indignação com o atual decreto municipal de enfrentamento à COVID-19.
 
Segundo o novo decreto, salões de estética e beleza, barbearias e cabeleireiros só podem trabalhar de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h. Já bares, restaurantes e lanchonetes podem abrir de segunda a sexta, das 7h até às 21h, mas aos finais de semana, estes setores só podem funcionar com serviços de delivery ou drive-thru.
 
"Foram 142 dias fechados em 2020 e a gente estima que mais de R$ 500 milhões de prejuízo no setor. Além disso, o segmento também ultrapassou 500 demissões. E, possivelmente, com esses 15 dias do novo decreto, cerca de 300 empregos serão encerrados", lamentou o presidente do Sinhores Uberaba, Fred Masson.
 
De acordo com as alterações do novo decreto, as celebrações de reuniões, missas e cultos realizados em templos religiosos e clínicas e comunidades terapêuticas podem ocorrer de domingo a quarta-feira até as 21h, e aos sábados até o meio-dia, sendo que as atividades estão proibidas às quintas e sextas-feiras.
 
Já os eventos sociais e corporativos e também as confraternizações familiares estão proibidas em Uberaba. 
 
Nas últimas 24h cinco pessoas morreram vítimas da COVID-19 na cidade
 
Conforme o último boletim epidemiológico, divulgado nesta quinta-feira (17-2), Uberaba registrou, nas últimas 24 horas, 156 novos casos da doença e cinco óbitos (três homens e duas mulheres; todos acima dos 70 anos), totalizando, desde o início da pandemia, 14.484 casos positivos, sendo que destes 320 pessoas morreram e 12.422 pacientes já se recuperaram. 
 
Com relação à preocupante ocupação dos leitos de UTI/COVID dos hospitais particulares, esta sofreu uma discreta queda nas últimas 24h, ou seja, de 94% para 88%. Já os leitos das enfermarias privadas estão com 65% de ocupação. E no que diz respeito à taxa de ocupação dos leitos/COVID da rede pública está em 47% os de UTI e 59% de enfermaria. 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade