Publicidade

Estado de Minas LUTO NA ACADEMIA

Morre Marília Ottoni Pereira, pioneira química da UFMG

Professora tinha 88 anos e foi uma das primeiras pesquisadoras da área a estudar nos EUA, na década de 50. Ela era especialista em química de produtos naturais


15/02/2021 20:05 - atualizado 15/02/2021 20:31

Marília Ottoni com o colega Claudio Donnici, durante a cerimônia na UFMG(foto: Arquivo pessoal)
Marília Ottoni com o colega Claudio Donnici, durante a cerimônia na UFMG (foto: Arquivo pessoal)

 

Morreu, nesta segunda (15/2), a professora Marília Ottoni Pereira, de 88 anos, pioneira do Departamento de Química da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

 

Dona Marília, como era conhecida na UFMG, foi pioneira no estudo da química de produtos naturais. Ela se tornou uma das primeiras brasileiras a realizar pesquisas da área nos Estados Unidos, ainda na década de 1950.

 

Na UFMG, ela foi uma das responsáveis pela criação do programa de pós-graduação em química.

 

Ainda na universidade, nos anos 1960, Marília e seu colega Herbert Magalhães articularam a vinda do químico Otto Gottlieb a Minas Gerais, onde ele foi professor visitante.

 

Otto tem como principal trabalho o estudo sobre a estrutura química das plantas. A pesquisa o rendeu uma indicação ao Nobel de Química em 1999.

 

"Como minha orientadora no doutorado e eterna amiga, sempre foi meu espelho de vida na academia", escreveu a professora Dorila Piló Veloso, da Química da Federal.

 

Marília Ottoni foi casada com Aníbal Antônio da Silva Pereira, professor do Departamento de Bioquímica do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG, já falecido.

 

Ela deixou os filhos Rodrigo, Taciana e Juliana. Melânia, outra filha da pesquisadora, também já é falecida.

 

Com informações da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade