Publicidade

Estado de Minas BALANÇO

Polícia de Juiz de Fora esclarece 93,3% dos homicídios ocorridos em 2020

Capturas foram feitas além das fronteiras mineiras, em parceria com a polícia do Rio de Janeiro


30/12/2020 17:10 - atualizado 30/12/2020 17:44

Delegado Rodrigo Rolli(foto: PCMG)
Delegado Rodrigo Rolli (foto: PCMG)
Chamam a atenção os números apresentados nesta quarta-feira (30/12) pela Delegacia de Homicídios da Polícia Civil de Juiz de Fora. Nada menos que 93,3% dos homicídios ocorridos na cidade foram esclarecidos, com os assassinos presos. A informação é do delegado Rodrigo Rolli, que contabiliza 116 indiciamentos de suspeitos com envolvimentos nesses crimes, entre tentados e consumados, bem como solicitados ao Poder Judiciário e cumpridos 74 mandados de prisão.

O levantamento aponta ainda uma redução de homicídios no município. Os 6,7% ainda não esclarecidos estão em investigação e o delegado acredita numa apuração rápida. De 1º de janeiro a 29 de dezembro deste ano, foram registrados 60 casos de homicídios consumados, enquanto que em 2019, aconteceram 61. “Em se tratando de homicídios tentados, no mesmo período, também houve uma queda no número, de 27,2%”, explicou o delegado Rolli, complementando que no ano anterior, o total foi de 88.
 

“Este ano, foram registrados 64, ou seja, uma diminuição de 24 casos, em números absolutos. Esse total é expressivo, comparado com os acontecimentos nos últimos anos. Diante desses resultados, Juiz de Fora alcança um patamar considerado aceitável, de 10,14% de casos de homicídio a cada 100 mil habitantes, quando observado o índice da Organização Mundial de Saúde (OMS)”, destaca ele.

O chefe do 4º Departamento, delegado Gustavo Adélio Lara Ferreira, os resultados demonstram a excelência na apuração dos casos com investigações qualificadas. “Toda a equipe da Delegacia Especializada de Homicídios fez trabalhos incessantes no combate à criminalidade e violência em Juiz de Fora. No próximo ano, temos a certeza de que todos os esforços serão empreendidos com o escopo de manter a paz social e a ordem pública.

O delegado Rolli revelou algumas curiosidades. “Levantamentos apontam que 70% das vítimas desses crimes têm até 29 anos de idade. Em se tratando do emprego de arma de fogo, ano passado, 82% dos casos de homicídios consumados ocorreram com o emprego de arma de fogo, já neste ano, 68%. E o tráfico de drogas ainda continua sendo o motivo de mortes na cidade.” Segundo ele, vários homicídios ocorrem em decorrência de desentendimentos momentâneos entre suspeito e vítima.

Atuação além da fronteira

O inspetor Anderson Gabi, da Homicídios de Juiz de Fora, disse que muitos dos autores foram capturados em outras cidades de fora de Minas Gerais. “Em abril e junho foram realizadas ações conjuntas entre a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) e a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (PCERJ), resultando na prisão de três foragidos da Justiça.

Em abril, foram presos dois suspeitos, de 25 e 26 anos. A dupla estava escondida no Rio de Janeiro, foragida desde 2018, por envolvimento em um homicídio ocorrido no dia 29 de agosto de 2018, no Bairro Linhares, em Juiz de Fora.

No meio do ano, um homem de 30 anos foi capturado na cidade de Cabo Frio, na Região dos Lagos, também no estado do Rio. Havia um mandado de prisão em aberto contra ele, suspeito de praticar um homicídio, em maio de 2018, na cidade da Zona da Mata mineira.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade