UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

COVID-19: Varginha registra 357 casos e mais uma morte no último mês

Nesta terça-feira (8/12), foram 24 testagens positivas, incluindo um bebê de 10 meses; prefeitura pretendia desabilitar Hospital de Campanha


08/12/2020 19:52 - atualizado 08/12/2020 21:04

Prefeitura pretendia desativa Hospital de Campanha(foto: Ascom/divulgação)
Prefeitura pretendia desativa Hospital de Campanha (foto: Ascom/divulgação)
A Prefeitura de Varginha, no Sul de Minas Gerais, registrou 357 casos novos de COVID-19 no último mês. Nesta terça-feira (8/12), foram 24 testagens positivas, incluindo um bebê de 10 meses. Além disso, o boletim municipal divulgou a 45ª morte em decorrência da doença. A vítima é uma paciente de 72 anos que tinha comorbidades e estava internada em um Centro de Tratamento Intensivo (CTI).

 

De acordo com a prefeitura, a cidade contabiliza 1.750 casos positivos de coronavírus, sendo 24 registros novos nesta terça-feira, incluindo um bebê de 10 meses. “O bebê não está internado e se recupera em casa”, diz assessoria de imprensa da prefeitura.

 

O boletim municipal também divulgou a 45ª morte em decorrência da doença. A vítima é uma paciente de 72 anos. “Extremamente pesaroso, depois de muitas semanas, registramos mais um óbito de uma senhora que apresentava comorbidades e estava internada no CTI”, lamenta o médico Luiz Carlos Coelho, secretário de saúde.

 

São 357 testagens a mais que no mesmo período do mês passado. No dia 8 de novembro, a cidade somava 1.393 registros. A prefeitura pretendia encerrar as atividades do Hospital de Campanha e ampliar os leitos para a COVID-19 no Hospital Bom Pastor.

 

“No mês de outubro, quando houve uma melhora, o Governo do Estado fez um plano de desmobilização de leitos de COVID-19. Incialmente desabilitar leitos de Hospital de Campanha e gradativamente, em hospitais que haviam ampliado leitos. Naquele momento já antevemos os feriados e período eleitoral. E pleiteamos os leitos do Hospital de Campanha, que é fundamental para os pacientes da cidade e da região”, explica.

 

Neste cenário, a prefeitura pretende continuar com os leitos do Hospital de Campanha até quando que for necessário. “E mesmo assim, existe a possibilidade de ampliação na UPA e fizemos a solicitação de mais três leitos de CTI para o Hospital Regional. Esperamos não precisar usar, mas por garantia”, diz.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade