Publicidade

Estado de Minas JUSTIÇA

Criminoso condenado a 27 anos é encontrado gozando de semiaberto no ES

Traficante e mandante de homicídios estava escondido em praia de Serra, onde tinha a companhia da família


22/10/2020 21:27 - atualizado 22/10/2020 21:47

As investigações que levaram à prisão de 'Fabinho' tiveram início em 10 de setembro(foto: Polícia Civil/Divulgação)
As investigações que levaram à prisão de 'Fabinho' tiveram início em 10 de setembro (foto: Polícia Civil/Divulgação)
Preso na Praia de Bicanga, no município de Serra, no Espírito Santo, onde estava escondido, com a família, Fábio Martins Soares, de 36 anos, o Fabinho, mandante de cerca de 10 homicídios em Santa Luzia, Vespasiano e Ribeirão das Neves, já está à disposição da Polícia Civil Mineira.

A detenção dele revela a progressão concedida pela Justiça mineira para o regime semiaberto dada a um homem condenado a 27 anos de prisão. Além disso, Fábio aguardava julgamento por outros crimes, de assassinato e tráfico de drogas.

As investigações que levaram à prisão de Fabinho tiveram início em 10 de setembro deste ano, em Vespasiano, quando um homem, ligado ao tráfico de drogas foi assassinado. A partir daí, os policiais conseguiram a informação de que ele estaria escondido em Serra, no Espírito Santo, em companhia da família.

Antes da prisão de Fabinho, as investigações revelaram que ele estava cumprindo pena na Penitenciária Jose Maria Alkimin, em Neves – antiga Penitenciária Agrícola de Neves –, quando recebeu o benefício do regime semiaberto, em 8 de maio deste ano, apesar de estar condenado a 27 anos de prisão. Desde o homicídio de Vespasiano, ele estava foragido.

Os policiais descobriram, também, que Fabinho era o líder do tráfico na região conhecida por Caldeirão ao Palmital, que pertence a Santa Luzia. E estava expandindo seus negócios para Ribeirão das Neves e Vespasiano.

Para conseguir seu objetivo, teria sido o mandante de vários outros homicídios que tiveram como vítimas pessoas que atuavam no que ele chamava de “novos mercados”.

Antes da prisão, os policiais da Delegacia de Vespasiano permaneceram em Serra por alguns dias, fazendo campana. No dia da prisão, a família de Fabinho estava na praia aguardando-o. No momento de sua chegada, os policiais lhe deram voz de prisão.

Segundo os delegados Marcos Vinicius Martins, titular da Delegacia Especializada de Homicídios (DEH) de Vespasiano, e Adriana das Neves Rosa, titular da DEH de Santa Luzia, não houve reação ou resistência de Fabinho, que se entregou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade