Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Promotores de evento realizam protesto em Montes Claros

Eles querem a volta das atividades. Por causa da pandemia, reuniões na cidade estão limitadas a 30 pessoas, conforme decreto municipal


22/10/2020 20:20 - atualizado 22/10/2020 20:44

Manifestantes foram ate a porta da Prefeitura de Montes Claros(foto: Franciele Oliveira/divulgação)
Manifestantes foram ate a porta da Prefeitura de Montes Claros (foto: Franciele Oliveira/divulgação)

Na tarde desta quinta- feira (22), promotores de evento promoveram uma manifestação em Montes Claros (Norte de Minas), solicitando da prefeitura a volta gradual de suas atividades. Desde o início da pandemia, em março, a realização de eventos estãoá suspensa no município, como medida preventiva contra a propagação do novo coronavírus.

 

Decreto do Executivo Municipal que flexibilizou as medidas de isolamento, assinado em 4 de setembro, limita em 30 pessoas a quantidade máxima de pessoas em shows artísticos e musicais e em encontros em casas de festas na cidade.

 

No protesto desta quinta-feira, os manifestantes saíram do Posto BR Mania e seguiram pela Avenida Deputado Esteve Rodrigues (Avenida Sanitária) até a frente da prefeitura. Segundo os organizadores, o ato contou com a participação de cerca de 600 pessoas, que usaram roupas pretas. Várias delas exibiram faixas e cartazes chamando a  atenção para o desemprego no setor e as perdas na arrecadação de impostos. 

 

Um dos organizadores da passeata, o diretor da Associação Mineira de Eventos e Entretimento (Amee Norte), Luis Fernando Aguiar Nobre, disse que a intenção dos empresários e trabalhadores do setor é abrir o diálogo com a prefeitura para o retorno gradual dos eventos. “O que estamos reivindicando é um diálogo com o poder público municipal, que sejamos ouvidos e sejam atendidos nossos pleitos”, afirmou Luis Fernando.

 

Ele reclamou que “toda a cidade está funcionando de alguma forma” enquanto os realizadores de shows e festas continuam estão impedidos de promover encontros com mais de 30 participantes. 

 

“O setor de eventos não funciona. Só pode haver encontros com, no máximo, 30 pessoas. Assim, os bares e restaurantes se transformaram em verdadeiros salões de festa”, alegou o empresário. Segundo ele, os bares e restaurantes estão “driblando’ o decreto municipal que proíbe reuniões com mais de 30 participantes na cidade.  

 

“O que a gente cobra do poder público municipal é um diálogo, uma flexibilização. Não estamos cobrando o retorno de todo e qualquer evento. Queremos, sim, um retorno gradual. Primeiramente, a volta dos eventos com 30% da capacidade e, logo depois, ir ampliando para os shows e outros eventos”, argumenta Luis Fernando. 

 

“Não é uma questão de salvar a economia ou salvar a vida das pessoas. É uma questão de bom senso. Se toda uma cidade está funcionando, por que somente um setor tem que pagar a conta?”, questionou o diretor da Amme Norte.

 

O que diz a prefeitura

 

Na  noite desta quinta-feira, a Prefeitura de Montes Claros divulgou nota, a qual afirma que a liberação de atividades no município no  meio da pandemia obedece ao seu plano de flexililização. 

 

A nota, na íntegra: 

 

"A Prefeitura de Montes Claros informa que foi criado o plano de flexibilização Avança Moc, com responsabilidade e praticamente todas as atividades estão funcionando. Cada uma liberada conforme planejamento epidemiológico. Por isso Montes Claros hoje tem a melhor situação entre as cidades de mesmo porte, no Brasil. A liberação do setor de eventos também acontecerá a seu tempo".

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade