Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

Vereador é preso suspeito de envolvimento em lavagem de dinheiro

A prisão preventiva foi decretada pelo juiz da segunda vara criminal de Governador Valadares. Além do vereador Waldecy Barcellos, outras sete pessoas estão sendo investigadas


11/09/2020 11:13 - atualizado 11/09/2020 15:01

A Polícia Militar e a Polícia Civil ficaram na porta da casa do vereador durante grande parte da manhã(foto: Tim Filho/EM/DA. Press)
A Polícia Militar e a Polícia Civil ficaram na porta da casa do vereador durante grande parte da manhã (foto: Tim Filho/EM/DA. Press)

O vereador Waldecy Barcellos (PSDB), de Governador Valadares, foi preso na manhã desta sexta-feira (11) em sua casa no Bairro Planalto. A prisão faz parte da “Operação Partilha”,deflagrada pelo Ministério Público de Minas Gerais, por meio do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (GAECO). Os policiais ficaram dentro da casa do vereador durante quase toda a manhã, cumprindo mandado de busca a apreensão.

 

Na operação, a polícia cumpriu mandado de prisão preventiva contra o vereador  e outros sete de busca e apreensão, efetuados em residências e no gabinete de Barcellos no anexo da Câmara Municipal de Governador Valadares. O comando da operação informou em nota que “trata-se de investigação e repressão qualificada aos crimes de organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro”, e que os trabalhos prosseguem, por determinação judicial, sob sigilo.

 

Os policiais também fizeram buscas em dois carros que estavam estacionados no pátio da Igreja Presbiteriana Renovada do Bairro Planalto, em frente à casa do vereador, que estava sob vigilância de policiais militares e civis. Por volta de 9h, um policial deixou um chaveiro subir para abrir um cofre.

 

os carros que estavam no pátio de uma igreja, em frente à casa do vereador, também foram alvo de buscas (foto: Tim Filho)
os carros que estavam no pátio de uma igreja, em frente à casa do vereador, também foram alvo de buscas (foto: Tim Filho)
Vizinhos contaram que, quando a polícia chegou à casa do vereador, alguns documentos foram atirados pela janela, fato que levou alguns policiais a subirem no telhado para observar se algo mais havia sido descartado pelos fundos. Enquanto os policiais estavam dentro da casa do vereador, alguns vizinhos promoveram um foguetório.

 

Nas redes sociais circulou uma nota atribuída ao vereador Barcellos, na qual ele relata que recebeu policiais em sua residência e que abordagem foi educada e respeitosa, e que ele não tem nada a ver com as investigações. Até o momento não foi possível comprovar a veracidade desta nota.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade