Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Agora até com academias liberadas, Uberlândia tem 100% dos leitos de UTI ocupados há dois dias

Rede municipal tem 96 leitos de UTI exclusivos para COVID-19 e há mais oito no Hospital das Clínicas da UFU


26/08/2020 12:19 - atualizado 26/08/2020 14:54

Existe expectativa de mais 16 leitos no anexo do Municipal(foto: Valter de Paula/Secretaria de Governo e Comunicação.)
Existe expectativa de mais 16 leitos no anexo do Municipal (foto: Valter de Paula/Secretaria de Governo e Comunicação.)
Pelo segundo dia seguido a ocupação de leitos de UTI exclusivos para COVID-19 na rede pública em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, se manteve em 100%. Ao mesmo tempo, o índice de ocupação geral de UTI's, que inclui recebimento de pacientes com outros problemas de saúde, está em 97%. A situação é vista com preocupação pela Secretaria Municipal de Saúde, que diz que este quadro está ligado à maior flexibilização que o plano Minas Consciente adota à todas as cidades do Estado.

 

A rede municipal tem 96 leitos de UTI disponibilizados exclusivamente para receber pacientes graves com o novo coronavírus, distribuídos no Hospital Municipal e no anexo da unidade no Centro da cidade. Há mais oito leitos do tipo no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). Nessa semana todos se mantiveram ocupados, o que, segundo o coordenador da Rede de Urgência e Emergência do Município, Clauber Lourenço, deixa a situação mais delicada, visto que na última semana foi possibilitada a reabertura de academias em municípios na Onda Amarela, como Uberlândia.

 

“Estávamos fazendo o controle de decisões com aberturas escalonadas, mas agora a decisão de qual onda o município vai estar é do Estado de Minas Gerais. A Prefeitura aderiu ao Minas Conciente por meio de decisão judicial. Nos causou estranheza nos manter na Onda Amarela”, disse Lourenço.

A primeira vez em que a cidade teve 100% dos leitos ocupados foi no dia 26 de junho, quando ainda não fazia parte do Minas Consciente. Lourenço afirmou ainda que na rede privada a ocupação e leitos de UTI também está no limite e que a rede pública chegou a ser demandada por hospital particular recentemente, pois não tinha vaga para paciente grave.

 

Nos números divulgados nesta terça-feira (25), Uberlândia teve mais 403 casos de COVID-19 e atingiu 18,8 mil confirmações da doença. O número de mortes  pelo coronavírus chegou a 363. O atual quadro, segundo o município, está ligado a eventos de quinze dias atrás, como o movimento do dia dos pais. O atual fluxo de pessoas na cidade só terá reflexo em duas semanas, includindo a onda de frio do fim de semana.

 

Clauber Lourenço ainda definiu o trabalho de fiscalização como “enxugar gelo”, caso não haja colaboração dos empresários e, principalmente, da população em evitar aglomerações. “Bares continuam cheios e mesmo com a fiscalização há aproximação entre pessoas. O isolamento em Uberlândia é inexistente (na prática)”, disse.

 

Leitos e contratação

 

A Secretaria de Saúde em Uberlândia não tem a pretensão, neste momento, de transferir paciente a outros municípios e a expectativa é de abrir mais de 16 leitos de UTI exclusivos para coronavírus. Esses postos de atendimento também serão feitos no anexo do Municipal, no Centro. Não foi informada uma data para o início do funcionamento, mas desde a última terça (25) são veiculados anúncios para contratação de profissionais como médicos especialistas em emergência ou UTI, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

 

Além disso, com ocupação também alta de leitos de enfermagem, outra medida que será tomada, segundo a prefeitura, é a criação de vagas do tipo na Casa da Fraternidade São Francisco de Assis, também conhecido como Dr. Hansen, no Bairro Jardim das Palmeiras. O anúncio é de que haverá 80 deles no local, mas nem todos já estão preparados.

 

Região

 

Duas das maiores cidades da região norte do Triângulo também têm problemas como alta ocupação de leitos de UTI. No caso de Ituiutaba, no Pontal, desde o dia 18, o Município regrediu à Onda Vermelha, e restringiu o funcionamento do comércio ao essencial. A decisão veio depois do número de casos confirmados mais que dobrar em pouco mais de 15 dias, além da ocupação de 14 leitos de UTI na cidade. Esta foi a primeira localidade do Triângulo Norte a se enquadrar na onda mais restritiva desde a remodelação do plano estadual de combate à COVID-19.

 

Em Araguari, mesmo com a quantidade de leitos UTI dobrada durante a pandemia de COVID-19, a Santa Casa de Misericórdia vive situação preocupante. A unidade hospitalar é a única com leitos exclusivos do tipo para pacientes com o novo coronavírus na rede municipal de saúde local e nas últimas semanas a taxa de ocupação esteve sempre perto de 90%.

 

No Alto Paranaíba, Patos de Minas vive uma situação diferente na ocupação de leitos de UTI, com cerca de 65% deles em uso atualmente. 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade