Publicidade

Estado de Minas MÃE DE DOIS FILHOS

Técnica em enfermagem é mais uma vítima da COVID-19 em BH

Cidade computou a terceira vida perdida entre profissionais de saúde na semana, de acordo com Conselho Municipal


14/08/2020 18:53 - atualizado 27/08/2020 08:56

Shirlene Alves é a quarta morte por COVID-19 entre servidores da saúde de BH(foto: Reprodução/Facebook)
Shirlene Alves é a quarta morte por COVID-19 entre servidores da saúde de BH (foto: Reprodução/Facebook)

 

Mãe de dois filhos, negra e servidora do Centro de Saúde Paraúna, em Venda Nova. A técnica em enfermagem Shirlene Alves, de 57 anos, é mais uma vida perdida para a COVID-19 em Belo Horizonte.

 

De acordo com o Conselho Municipal de Saúde, Shirlene morreu nessa quinta-feira (13). Com ela, a Prefeitura de BH perdeu seu terceiro profissional de saúde para a doença em um intervalo de sete dias. O quarto na pandemia.

 

"O CMSBH se solidariza com os familiares e amigos da técnica de enfermagem do Centro de Saúde Paraúna, Shirlene Alves, que faleceu nessa quinta-feira. Sua presença com alegria e garra será sempre lembrada. Shirlene pressente!", escreveu nas redes sociais o conselho.

 

Além dela, nessa quarta-feira (12), Josielle Ribeiro dos Santos, de 37, funcionária da UPA Centro-Sul e da Santa Casa BH morreu infectada. Já nesse sábado (8), José Célio da Silva não resistiu à enfermidade aos 54 anos. Ele trabalhava na UPA do Hospital Odilon Behrens.

 

No fim de julho, no último dia 26, o técnico em enfermagem Gerônimo Batista Pires teve a morte por COVID-19 registrada. Ele trabalhava na UPA Barreiro.

 

Outras três mortes ocorreram em BH, porém na rede pública estadual: Maria Aparecida, que trabalhava no Hospital Alberto Cavalcanti; Renê Serafim Soares, servidor do HPS João XXIII; e Luiz Alberto Alves, funcionário da Maternidade Odete Valadares.

 

Linha de frente

 

Todos os sete servidores da saúde que morreram pela doença em BH exerciam a mesma função: técnico em enfermagem.

 

Até o mais recente boletim epidemiológico, divulgado pela prefeitura nesta sexta-feira, Belo Horizonte registra 1.023 casos confirmados de COVID-19 entre servidores da saúde. Outros 172 diagnósticos estão em investigação.

 

Dos quase mais de 1 mil diagnósticos da doença entre servidores do SUS-BH, a prefeitura informa a categoria profissional de 501. Nesse universo, 178 (35,5%) são técnicos de enfermagem.

 

A cidade como um todo, conforme boletim da Secretaria de Estado de Saúde divulgado neste domingo (26), computa 16.778 casos confirmados e 459 mortes por COVID-19.

 

De acordo com levantamento, a cidade como um todo registra 27.953 diagnósticos até esta sexta: 3.156 em acompanhamento, 23.989 recuperados e 808 óbitos. Houve um crescimento de 468 casos positivos na comparação com o balanço de quinta.

 

Prefeitura se manifesta

 

 

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde manifestou "sentimento de pesar" pela morte de Shirlene.

 

"Sua contribuição e dedicação ao SUS-BH serão sempre lembradas. Aos familiares, amigos e colegas de trabalho, os votos de paz e solidariedade", informou a PBH.

 

O Executivo municipal também esclareceu que afastou os profissionais de saúde que fazem parte do grupo de risco.

 

Também ressaltou que todos os servidores da área com sintomas são testados a partir do exame RT-PCR, o mais fidedigno, segundo especialistas.

 

Os quadros são acompanhados pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde da prefeitura.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade