Publicidade

Estado de Minas EFEITO CORONAVÍRUS

Máscaras descartadas de forma indevida podem afetar o ambiente

Alerta é feito por professora da UFMG na véspera do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado nesta sexta (5) ; saiba como descartar o material corretamente


postado em 04/06/2020 18:50 / atualizado em 04/06/2020 19:12

Máscaras descartadas de forma indevida podem chegar aos leitos dos rios e aos mares(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Máscaras descartadas de forma indevida podem chegar aos leitos dos rios e aos mares (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Neste ano, com a crise de saúde provocada pelo novo coronavírus, ambientalistas aproveitam o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado nesta sexta-feira (5), para alertar para o descarte responsável dos materiais que têm sido usados para evitar a disseminação da COVID-19, que já deixou mais de meio milhão de infectados no Brasil. 

A obrigatoriedade no uso de máscaras em locais públicos de Belo Horizonte, prevista no decreto publicado no Diário Oficial do Município, fez com que a procura pelo material aumentasse nas farmácias da capital. E a maneira com que esse produto tem sido descartado pode gerar um grande impacto no meio ambiente. 

De acordo com a professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e coordenadora das ações educativas da COVID-19, Viviane Alves, a grande preocupação está relacionada ao material que está na composição dessas máscaras: o polipropileno. “Ele é um plástico que não é biodegradável e que ao se acumular nos ambientes naturais pode levar a efeitos catastróficos”, explicou.

Ela ainda ressalta que, quando esses materiais são descartados de forma indevida, podem chegar aos leitos dos rios e aos mares. “No ambiente marinho, essas máscaras afetam principalmente as tartarugas, que confundem os plásticos com alimento”, detalhou. 

Segundo a gerente de Hotelaria Hospitalar do grupo ProntoBaby, Fernanda Sales, ainda existe a possibilidade de o vírus sobreviver na água e no solo. “Mesmo com uma menor contaminação, ao entrar em contato com esses resíduos, as pessoas podem desenvolver a doença, tornando-se também transmissores”, disse.

E para evitar que isso aconteça, é necessário fazer o descarte do material de forma correta. A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES) orienta para o processo mais adequado:
- Utilizar dois sacos plásticos para depositar o material;
- Lavar as mãos antes de encostar na máscara e depois que finalizar o processo de descarte;
- Retirar a máscara do rosto pelo elástico;
- Assim que a máscara estiver dentro do saco plástico, descartar no lixo do banheiro.
- Identificar o material no saco plástico.
 
*Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade