Publicidade

Estado de Minas PESQUISA

Veja como economizar na farmácia em tempos de pandemia de coronavírus

Brasileiro gasta em média R$ 55,00 por ida às farmácias; confira os produtos mais procurados e como gastar menos nas visitas


postado em 25/05/2020 10:45 / atualizado em 25/05/2020 14:51

(foto: (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press))
(foto: (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press))
Em época de pandemia de novo coronavírus, muitos gastos foram cortados, mas um que as pessoas continuam a ter é a compra de medicamentos. Dados do mercado mostram que a população continua adquirindo em grande ritmo e, em alguns casos até mesmo aumentou a procura de produtos ligados à COVID-19, como vitaminas, antigripais e produtos de higiene e proteção.

Segundo a 4ª Análise do Perfil de Compra dos Clientes das Farmácias, realizada pelo IFEPEC (Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Corporativa) em parceria com a Unicamp, pouco antes da pandemia, a frequência dos brasileiros nas farmácias é grande, sendo que 61,6% dos entrevistados as frequentam duas vezes ou mais por mês.

Outro ponto relevante é que os clientes compram, em média, mais de três produtos por visita às farmácias. Essas compras possuem um ticket médio nacional de R$ 55,04. Além disso a mesma pesquisa aponta que a maioria dos entrevistados, 86,7%, não costuma pesquisar preços em outros estabelecimentos. Contudo, 64,4% desses entrevistados apontaram o preço como fator decisivo para a escolha de uma farmácia.

"Mesmo tendo os medicamentos preços tabelados é possível economizar. Uma coisa que poucas pessoas sabem é que se tabela apenas o valor máximo dos medicamentos, o mínimo as farmácias podem estabelecer de acordo com suas estratégias comerciais", explica Reinaldo Domingos, educador financeiro da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN).

Para auxiliar os consumidores, o educador financeiro Reinaldo Domingos elencou orientações sobre como economizar:

1. Pesquise preços

Não é hora de ir a diferentes farmácias, mas a maior parte delas fornece valores pela internet ou mesmo aplicativos e WhatsApp. É interessante pesquisar, pois os preços são realmente muito diferentes, sem contar que uma drogaria pode cobrir o preço da concorrência. Parece besteira, mas a grande parte das pessoas não realiza essa pesquisa, vai apenas na farmácia de costume. Aconselho que o consumidor faça um cadastro de fidelidade, pois a prática pode resultar em descontos futuros. Consultar comparadores de preços on-line também é uma boa saída.

2. Cuidado com as armadilhas 

Mais até mesmo que os supermercados, as farmácias estão planejadas para levar as pessoas a comprarem mais, todo seu trajeto em uma farmácia, principalmente nas grandes redes levam à compra de produtos sem necessidade, principalmente medicamentos isentos de prescrição. Compre somente o necessário e evite produtos que não são seu foco e que não sejam os produtos fins das drogarias, como balas e chocolates, pois geralmente poderia comprá-los no outro lado da rua pela metade do preço.

3. Prefira genéricos

Na grande maioria das vezes, os medicamentos genéricos são mais em conta, assim a orientação é sempre buscar por essa alternativa e, quando o médico for elaborar a prescrição, solicite que coloque o princípio ativo em vez da marca. Pesquise também entre laboratórios, pois os preços são variados.

4. Cadastre-se no programa Farmácia Popular

Muitas farmácias possuem um programa governamental chamado Farmácia Popular, que oferece medicamentos gratuitos de hipertensão, diabetes ou asma para pessoas que possuem cadastro e receita. O programa também possibilita descontos de até 90% mais baixos. É necessário apenas ir a uma farmácia credenciada, apresentar a receita – que não precisa ser de um médico do Sistema Único de Saúde (SUS) – e a identidade para conseguir pegar medicamentos com desconto.

5. Utilize programas de fidelidade

A maioria das farmácias possui programas de fidelidades que oferecem benefícios aos clientes. Além disso, existem os programas dos laboratórios – faça seu cadastro, pois são aceitos em muitas farmácias, gerando economia de até 70%. Veja também se sua empresa, plano de saúde, sindicato ou associação de classe profissional não faz parceria com alguma rede.

6. Remédios gratuitos pelo SUS

É possível retirar gratuitamente alguns medicamentos disponibilizados pelo Ministério Público em Unidade Básica de Saúde (UBS), desde que com a receita e o documento de identidade em mãos. Lembrando que no meio da pandemia há casos de agendamento prévio e a possiblidade de terceiros retirarem com uma procuração.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade