Publicidade

Estado de Minas

Previsão de temporal: veja os 11 pontos de BH que receberão operação especial

Alerta de chuvas fortes para os próximos dias força Executivo municipal a convocar servidores e deslocar equipamentos para lugares com histórico de alagamentos


postado em 22/01/2020 19:39 / atualizado em 22/01/2020 21:13

No início do mês, tempestade inundou a Avenida Vilarinho, em Venda Nova. Prefeitura tem projeto para resolver o problema, mas obras não começaram (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
No início do mês, tempestade inundou a Avenida Vilarinho, em Venda Nova. Prefeitura tem projeto para resolver o problema, mas obras não começaram (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

 

Enquanto as obras não chegam e a chuva continua tirando o sono do morador de Belo Horizonte, a prefeitura se prepara para diminuir os danos dos temporais que marcam o verão. Diante da previsão de cair mais 100 milímetros de precipitação entre quinta e sexta-feira (23 e 24) na Grande BH, o Executivo municipal vai deslocar servidores e maquinário para 11 pontos específicos da cidade, onde geralmente acontecem alagamentos.

 

 


Os pontos críticos estão espalhados por todas as regiões da cidade. Em Venda Nova, a atenção se volta para a Avenida Vilarinho e para a Rua Doutor Álvaro Camargos, principalmente no encontro delas, nas proximidades do Shopping Estação.


Arrasada pelo temporal de domingo (19), a Avenida Tereza Cristina também está no radar da prefeitura. No território Norte, equipes vão se dedicar ao encontro da Avenida Cristiano Machado com a Via 240, perto da Estação São Gabriel do metrô.


No Leste da cidade, o morador precisa ficar de olho na Avenida Silviano Brandão, sobretudo na esquina com a Rua Pitangui, perto do estádio Independência e da Estação Horto do metrô.


Já na Pampulha, o cuidado se estende à Avenida Otacílio Negrão de Lima, aquela que contorna a Lagoa da Pampulha. A Avenida Prudente de Morais e a Praça Primeiro de Maio são as preocupações no Centro-Sul de BH.


No Oeste de BH, olho em três pontos: as avenidas Silva Lobo, Francisco Sá e Engenheiro Carlos Goulart, essa última logo em frente ao Centro Integrado de Operações de Belo Horizonte (COP/BH), no Buritis.

 

(foto: Reprodução/Prefeitura de Belo Horizonte)
(foto: Reprodução/Prefeitura de Belo Horizonte)
 


Efetivo e equipamentos


Por esses onze pontos serão distribuídos 34 caminhões, 12 carregadeiras, cinco escavadeiras, 13 retroescavadeiras, dois tratores, cinco caminhões-prancha e 11 hidrojatos, conforme nota da prefeitura.


Para fazer a coleta imediata de resíduos, 61 equipes da SLU, que totalizam 488 garis, estarão à disposição em três turnos: 7h às 15h, 13h30 às 21h30 e das 21h30 às 5h.


Cada equipe contará com um caminhão-basculante, oito garis, três pás-carregadeira, cinco caminhões e um caminhão-pipa.


Nove grupos equipados com caminhão-basculante com cabine farão podas e cortes de árvores durante a noite em toda a cidade. Além disso, estarão à disposição cinco torres de iluminação com gerador a diesel.


Ademais, equipes da BHTrans farão a reserva de áreas nas vias públicas para os equipamentos, que serão monitorados pela Guarda Civil Municipal, a partir da noite desta quarta. Haverá sinalização proibindo o estacionamento e trânsito de veículos nos locais.


A Prefeitura de Belo Horizonte também reservou vagas em pousadas da capital caso pessoas fiquem desabrigadas após o temporal. Equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social estarão de plantão 24 horas para atendimentos. A Defesa Civil também fará a distribuição de colchões, cestas básicas, cobertores e jogos de lençol.



Publicidade