Publicidade

Estado de Minas

Até R$ 20: confira os pratos do circuito gastronômico da Virada Cultural em BH

Novidade do evento deste ano, lista inclui de salgados a iguarias mais elaboradas, passando pelos tradicionais caldo de mocotó e kaol, com preço máximo de R$ 20


postado em 03/07/2019 06:00 / atualizado em 03/07/2019 07:54

Caldo de mocotó do Nonô, mais uma das iguarias populares para encarar a festança com energia(foto: Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)
Caldo de mocotó do Nonô, mais uma das iguarias populares para encarar a festança com energia (foto: Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)

Uma nova faceta de Belo Horizonte vai dar o tom da diversidade do Centro durante a Virada Cultural. Em meio a shows, apresentações e exposições, a gastronomia vai marcar presença, com opção para todos os gostos. Tem butecão, restaurantes, ambientes mais descolados, os clássicos e até padaria para matar a fome ou fazer ceder aos prazeres do paladar a galera preocupada em ocupar e viver a cidade intensamente num período de 24 horas. Ao todo, 30 estabelecimentos vão compor o circuito gastronômico, uma inovação na edição 2019 do evento.

Todos têm uma indicação de prato apelidado como “viradão”. Alguns estabelecimentos funcionarão ininterruptamente durante todo o evento. Há pratos sem carne, comida de rua (representadas por três barraquinhas da feira hippie) e aquelas vindas diretamente das estufas dos botequins, que são as assinaturas dos botecos do Centro. Tem pratos mais elaborados e também o famoso PF (prato feito). As padarias entraram no circuito como boas pedidas para aplacar a fome de quem está chegando ou saindo da virada, naquela madrugada com início da manhã.

O curador do circuito, Daniel Neto, o Nenel, conta que a iniciativa nasceu de demanda da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). O convite para selecionar os participantes deu origem a um trabalho de imersão no Centro durante 45 dias. “Numa época de economia tão complicada, a virada é oportunidade de fortalecer o Centro. O dinheiro vai circular e os comerciantes vão poder desafogar um pouco”, diz. “É bom para a população, que terá arte e cultura de forma gratuita, para os artistas que vão se apresentar e para os comerciantes da região”, completa.

Os preços também são atrativos – máximo de R$ 20. Macarrão na chapa, acarajé, cachorro-quente, pastel, sanduíche de pernil com vinagrete e cebola, caldo de mocotó e o kaol (arroz, farofa de feijão, linguiça, ovo frito, couve, torresmo e molho de tomate) são exemplos do que há de popular. Os tradicionais salgados, como empadas e joelho de moça, e o misto quente, famosos nas lanchonetes do Centro, não poderiam estar fora do cardápio. Nuggets de cogumelo, pirulito de carne (bolinho de carne no palito e recheado com queijo, azeitona, tomate e orégano) e sorvete de caramelo salgado são opções de toque mais refinado. Das estufas, saem linguiça, carne cozida ao molho e torresmo de barriga.

O tradicional kaol será o prato oferecido pelo Café Palhares durante o evento no coração da cidade(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
O tradicional kaol será o prato oferecido pelo Café Palhares durante o evento no coração da cidade (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Para Nenel, o circuito gastronômico abre as portas do coração da cidade, que pulsa sem que as pessoas percebam a grandeza da sua dinâmica. “Centro é local de passagem. Muita gente passa todos os dias a trabalho, para resolver problemas, a pé, de ônibus ou carro. Mas, muitas vezes, nessa pressa, não percebe as belezas do lugar nem o que ele tem de bom a oferecer.”

A virada cultural será feita durante 24 horas nos dias 20 e 21, com ocupação artística e cultural no Hipercentro. Ao todo, serão cerca de 400 atrações gratuitas – 120 selecionadas por edital – que devem chamar cerca de 500 mil pessoas em um circuito formado por seis áreas principais no Centro da capital, além de espaços culturais parceiros. A ideia é promover uma experiência intensa de compartilhamento e ocupação do Hipercentro, atrelada ao convívio com diferentes culturas, estilos, credos e tribos. O evento é uma realização da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e do Instituto Periférico.

Além de proporcionar um contato mais íntimo entre a cidade e a população, a virada fomenta discussões importantes para a vida urbana, tais como o uso do espaço público, a acessibilidade e a diversidade. Inspirada por um movimento francês e por outras capitais brasileiras, especialmente São Paulo, a Virada Cultural de Belo Horizonte faz parte do calendário oficial de eventos do município. Nas quatro edições anteriores, o evento mobilizou mais de 1,6 milhão de pessoas.
 

Iguarias para todos


Confira a lista de estabelecimentos e pratos oferecidos no circuito gastronômico da Virada Cultural 
 
1- A Central 
(Praça Rui Barbosa, 104)
Nuggets de cogumelos (vegano) + 1 molho à escolha. Molhos da casa: maionese de jalapeño (vegetariano) ou ketchup de goiabada defumado na casa (vegano) – R$ 20 (porção com quatro unidades)

2- Barbazul 
(Avenida Getúlio Vargas, 216, Funcionários)
Macarrão na chapa do Barba – R$ 15

3- Barraca do Alair (feira hippie)  Barraca Y26
Carpaccio de jiló (com azeitona, pepininho em conserva, alcaparras, cebola roxa, alho e cebolinha em conserva) – R$ 5

4- Barraca do Alcides (feira hippie)  Barraca Y00009
Viradão: Acarajé completo (bolinho de feijão, vatapá, farofinha de filé de peixe com coco ralado, salada de tomate verde e camarão) – R$ 13

5- Barraca do Valdir (feira hippie)  Barraca Y34
Cachorro-quente completo (pão, salsicha, queijo, bacon e acompanhamentos à vontade) - R$ 7

6- Benzadeus Café 
(Rua da Bahia, 1.071)
Pastel de palmito – R$ 4,50

7- Café Palhares 
(Rua Tupinambás, 638)
kaol (arroz, farofa de feijão, linguiça, ovo frito, couve, torresmo e molho de tomate – R$ 18,80

8- Devotos Butiquim 
(Avenida Getúlio Vargas, 234, Funcionários)
Ceviche de tilápia – R$ 20

9- Estação da Cerveja 
(Avenida dos Andradas, 351)
Pirulito de carne (bolinho de carne no palito e recheado com queijo, azeitona, tomate e orégano) – R$ 5

10- Fox Lanches 
(Rua Curitiba, 339)
Hambúrguer assado (hambúrguer fechado, em formato de salgado, recheado com queijo, presunto, tomate, cebola e pimentão) – R$ 3

11- Guaribas Lanches 
(Rua Guaicurus, 695)
Sanduíche de pernil com vinagrete e cebola – R$ 8

12- Lanches Cidade 
(Rua Rio de Janeiro, 858)
Ovo e bacon (pão francês recheado com ovo, bacon, alface, tomate e molho rosé da casa) – R$ 9,70

13- Lanches da Sosô 
(Rua da Bahia, 334)
Macarrão na chapa (com frango, cenoura, milho e bacon) – R$ 7,50 a R$ 9

14- Letish Sorvetes Artesanais 
(Rua Sergipe, 109)
Sorvete de caramelo salgado – R$ 7 a R$8

15- Nonô 
O Rei do Caldo de Mocotó (Avenida Amazonas, 840)
Caldo de mocotó completo (com dois ovinhos de codorna e cebolinha) – R$ 10,50

16- Padaria Belo Pães 
(Avenida Santos Dumont, 193)
Caldinho de feijão com linguiça (torresmo e cebolinha verde opcionais) - Preço: R$ 21 (o quilo)

17- Padaria Boa Viagem 
(Rua Sergipe, 7)
X-burguer bacon (pão de hambúrguer, carne de hambúrguer, queijo, alface, tomate e bacon) – R$ 8,30

18- Padaria Diplomata 
(Avenida Augusto de Lima, 150)
Pizza de tabuleiro – R$ 29,90 (o quilo)

19- Padaria e Lanchonete Fênix 
(Rua da Bahia, 432)
Misto quente – R$ 4

20- Panificadora Honda 
(Rua Espírito Santo, 304)
Miniempadas de frango – R$ 39,90 (o quilo)

21- Pop & Kid 
(Rua Rio de Janeiro, 661)
Batatão recheado com camarão e catupiry – R$ 19,10

22- Rei do Café 
(Rua Aarão Reis, 500)
Joelho de moça (enroladão de presunto e queijo) – R$ 4

23- Restaurante Beco 
(Rua dos Tamoios, 232)
Prato feito customizado (proteína mais quatro acompanhamentos) R$ 15,50

24- Restaurante Mineirinho 1 
(Rua Espírito Santo, 310)
Minirrefeição com tropeiro ou feijão comum – R$ 11

25- Serelepe Bar 
(Rua dos Carijós, 39)
Carne cozida ao molho, diretamente da estufa – R$ 7 (o pedaço)

26- Sindicato do Chopp 
(Rua da Bahia, 1166)
Espaguete à bolonhesa – R$ 20

27- Síria Gourmet 
(Rua dos Goitacazes, 322)
Sanduíche de falafel – R$ 11

28- Tim Academia de Bilhares 
(Rua dos Carijós, 109)
Mexidão à moda da casa – R$ 15,90

29- Tonel da Pinga 
(Rua Sergipe, 129)
Linguicinha da estufa 
R$ 5 (o pedaço)

30- Xok Xok 
(1º piso do Edifício Maletta - Avenida Augusto de Lima, 233)
Torresmo de barriga, diretamente da estufa – R$ 3 (o pedaço) 


Publicidade