Publicidade

Estado de Minas

Investigação vai apontar causas de acidente com avião em Bom Despacho

Queda ocorreu perto do aeroporto de Bom Despacho, onde testemunhas viram a aeronave fazer acrobacias, prática proibida pelos bombeiros em evento do setor. Corpos ficaram carbonizados


postado em 15/07/2018 06:00 / atualizado em 15/07/2018 08:11

Aeronave caiu em uma mata próximo ao aeroporto da cidade(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Aeronave caiu em uma mata próximo ao aeroporto da cidade (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Um acidente aéreo em circunstâncias ainda não esclarecidas levou à morte de duas pessoas na tarde de sábado em Bom Despacho, na Região Centro-Oeste de Minas Gerais. Testemunhas contaram que a aeronave fazia manobras próximo ao aeroporto da cidade, quando perdeu força e caiu. Um evento de acrobacias aéreas estava programado para o dia, mas foi suspenso pelo Corpo de Bombeiros por falta de segurança. Segundo o sargento Camilo, do Posto Avançado do Corpo de Bombeiros de Nova Serrana, apenas a exposição de aeronaves seria permitida. Entretanto, há indícios de que a proibição tenha sido descumprida. Perícia dará início à investigação das causas da queda.



O acidente ocorreu por volta das 16h40. Testemunhas que estavam no local informaram que o avião fazia acrobacias, como um looping, uma espécie de giro, quando perdeu potência e caiu. “Houve uma movimentação de aeronaves acima do normal no aeroporto de Bom Despacho, e tinha um avião, segundo as pessoas, que estava no local, realizando manobras. Apenas um. E esse seria o avião que caiu”, explicou o tenente Thales Gustavo de Oliveira Costa, comandante do Posto Avançado do Corpo de Bombeiros de Bom Despacho.

A aeronave caiu em uma mata nas proximidades do aeroporto. O local é de difícil acesso. “Estamos com equipes de bombeiros empenhadas. Após o acidente, fizemos o isolamento e combate ao incêndio”, disse o comandante. No avião estavam duas pessoas,  que morreram na hora e cujos corpos ficaram carbonizados. Devido a essa circunstância, não foi possível identificar oficialmente as vítimas, embora tenham sido recolhidos no local documentos de dois um homens: Leonardo Traugott e Eryan Rathel.

O pai de Leonardo Traugott, supostamente piloto da aeronave acidentada, segundo informações do sargento Camilo, confirmou que o filho embarcara no avião por volta das 15h, no aeroporto de Pará de Minas, com destino a Bom Despacho. A confirmação da identidade das vítimas, entretanto, dependerá de exames periciais.

Ontem estava previsto o evento Aerofest, em que ocorreria show de acrobacias de aviões e apresentação de saltos de paraquedistas. Porém, ele acabou suspenso por falta de segurança. “O evento não foi aprovado pelo Corpo de Bombeiros, devido à falta de documentação, e outras questões de segurança, necessárias para a aprovação. Ontem (sexta-feira), os organizadores apresentaram um documento informando que o evento não aconteceria mais. Hoje (ontem), não posso dizer que o evento tenha ocorrido, mas testemunhas contam que uma aeronave fazia manobras”, afirmou o comandante.

O Estado de Minas entrou em contato com representantes da Associação de Pilotos e Proprietários de Aeronaves de Bom Despacho (Appabd), responsável pelo Aerofest, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem. Ao portal G1, a entidade afirmou que o avião que caiu não participava de sua programação.

A AERONAVE
O modelo envolvido no acidente é um Eagle II, fabricado pela empresa americana Christen. A aeronave, preparada para fazer acrobacias, tem capacidade para apenas duas pessoas, sendo o piloto e o passageiro. O avião envolvido na queda ostentava o prefixo PR-ZTE. Foi produzido em 1982 e adquirido pelo último proprietário no início de fevereiro de 2014. Sua situação na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) era regular, com o certificado de autorização de voo experimental expedido pelo órgão.

OUTRA QUEDA Em 2013, a cidade viveu outro acidente aéreo que terminou em morte. Um monomotor caiu em Bom Despacho em 17 de novembro. Morreu o empresário e piloto Álvaro Celso Nogueira D’Almeida, de 61 anos. O acidente ocorreu ainda nos procedimentos de decolagem. Depois de atingir uma altura de 30 metros, a aeronave perdeu sustentação e caiu de bico. O monomotor modelo RV-6A (Acrobat), prefixo PU-MED, era pilotado por Álvaro, que viajava sozinho em direção a Divinópolis, também na Região Centro-Oeste.


E MAIS...

‘Corredor polonês’

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MG), Willian dos Santos, denunciou às autoridades que servidores das unidades prisionais estariam fazendo “corredor polonês” durante a noite com os detentos – forma de castigo físico em que um indivíduo deve passar correndo entre duas fileiras de pessoas, nesse caso mascaradas, que o agridem – nas unidades prisionais de Bicas 1 e de Bicas 2, na cidade de São Joaquim de Bicas, na Região Metropolitana de BH. A comissão requer a abertura de investigações e recomenda uma campanha de conscientização dos que operam o sistema prisional. A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) informou, por meio de nota, que os fatos fará “apuração pormenorizada” dos fatos.

Ônibus incendiado
Um ônibus foi incendiado na madrugada de ontem em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a Polícia Militar, o crime ocorreu pouco depois da 0h de ontem e um coletivo da linha 5805, que faz o percurso entre o Bairro Caieiras e a Estação Morro Alto, do Move Metropolitano, foi destruído. O motorista do veículo de passageiros relatou que seguia pela MG-010, na altura do Km 17, Bairro Morro Alto, quando um homem deu sinal para entrar no coletivo. Ele teria exigido a saída dos passageiros e, quando a porta traseira se abriu, outros dois criminosos entraram com líquido inflamável e atearam fogo. Policiais militares que atenderam a ocorrência encontraram ainda um bilhete que trazia reclamações sobre maus-tratos durante visitas à Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH. Ninguém foi preso

Acidente na BR-365
Um ônibus tombou deixando mais de 30 pessoas feridas na madrugada de ontem na BR-365. O acidente ocorreu bem próximo a Celso Bueno, distrito de Monte Carmelo, no Alto Paranaíba. Segundo o Corpo de Bombeiros, o veículo, com 40 pessoas, virou por volta das 4h da madrugada e mobilizou atendimento tanto dos militares quanto de ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Entre os atendimentos feitos pelos bombeiros e pelo Samu, foram dois feridos graves e mais de 30 com ferimentos leves.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade