Publicidade

Estado de Minas GESTÃO

Contratantes recorrem mais a freelancers por causa do trabalho remoto

Setores que mais contratam são vendas, mídia e marketing, arquitetura, engenharia e construção, TI e Telecom


27/01/2021 15:00 - atualizado 27/01/2021 16:35

(foto: Peggy und Marco Lachmann-Anke/Pixabay )
(foto: Peggy und Marco Lachmann-Anke/Pixabay )

Segundo um relatório da Fiverr (https://www.fiverr.com/), plataforma que conecta empresas a freelancers, 79% dos contratantes brasileiros têm recorrido mais a freelancers independentes agora por causa do crescimento do trabalho remoto.

O estudo, feito entre os dias 5 e 26 de outubro de 2020, entrevistou 504 líderes e proprietários de micro, pequenas e médias empresas espalhadas por todas as regiões do Brasil.

Entre os setores com mais mão de obra freelancer estão vendas, mídia e marketing (88%), arquitetura, engenharia e construção (86%) e TI e telecom (85%).

Já os profissionais mais contratados atuam em marketing digital (59%), atendimento ao consumidor (49%) e gerenciamento de mídias sociais (48%).

Quando questionados sobre quais áreas do negócio têm recebido mais investimentos agora como consequência da COVID-19, a maioria (65%) dos respondentes indicou marketing digital. A construção de uma presença forte nas redes sociais também foi apontada por 48%, seguida por Vendas (46%).

Muitas empresas se viram forçadas a mudar seus processos neste período e perceberam que conseguem rodar bem, mesmo a distância. Novas necessidades surgiram e abriram espaço para outras formas de buscar e se relacionar com os profissionais que prestam serviço dentro do negócio.

"A tecnologia nos permite trabalhar juntos de qualquer lugar e a produtividade não está necessariamente ligada à presença física. Este certamente é um aprendizado que ficará", afirma Peggy De Lange, VP de expansão internacional da Fiverr.

Aprendizados

 
Quando questionados sobre quão preparados estavam para enfrentar os desafios trazidos pela pandemia, 51% dos respondentes afirmaram que estavam parcialmente preparados, enquanto 15% não estavam nada preparados. Os que estavam muito preparados somam 13% e apenas 3% não foram afetados.

Em relação aos respondentes que afirmaram que seus negócios não estavam preparados para o impacto da COVID-19, ao serem perguntados sobre o que poderiam ter feito para se sair melhor neste cenário, 44% responderam que o negócio poderia estar melhor preparado para o trabalho remoto.

A mesma porcentagem também apontou a necessidade de ter uma tecnologia melhor à disposição. Já 36% indicaram acesso mais fácil a trabalhadores freelancers flexíveis.

Ainda considerando o grupo com negócios despreparados para o impacto da COVID19, entre as razões apontadas para o despreparo, 44% afirmaram que a falta de experiência foi uma grande vilã. Já ao olhar para o futuro, 55% acreditam que depois da pandemia seus negócios estarão mais fortes com presença digital, terão mais flexibilidade (47%) e mais colaboradores freelancers (38%).


Home office para sempre


Apesar de repentina, a adesão ao trabalho remoto foi benéfica para os negócios e os profissionais envolvidos. De acordo com o levantamento, 67% das empresas constataram aumento de produtividade neste período.

Entre os aspectos positivos mais destacados e que devem ser levados em conta no futuro estão maior flexibilidade (67%), melhor equilíbrio entre trabalho e vida (51%), maior produtividade (48%) e mais tempo com a família (47%).

A pesquisa revela que a adesão forçada ao trabalho remoto contribuiu para que 81% dos respondentes se sintam agora mais otimistas para encorajar o formato no futuro.

No momento, mesmo com a possibilidade de retomar as atividades presenciais, 65% das empresas devem manter o trabalho parcialmente à distância, enquanto 21% devem permanecer no modelo em tempo integral.

"Estamos diante de uma mudança relevante. Não é de hoje que as pessoas buscam mais qualidade de vida. A experiência de trabalhar de casa por causa de uma pandemia certamente não é fácil, mas também tem mostrado que é possível estabelecer um outro tipo de rotina. Só para dar uma ideia, 89% dos entrevistados afirmaram que se sentem mais conectados com suas famílias agora. São ganhos que vão muito além dos negócios", conclui De Lange.

Para saber mais sobre a Fiverr: https://www.fiverr.com/ 








receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade