UAI
Publicidade

Estado de Minas NOVA TECNOLOGIA

Sinal 5G chega a BH em julho; consumidor terá que trocar parabólicas

Troca de antenas só vai ser gratuita para quem fizer parte do Cadastro Único do governo federal. Valor pago às empresas privadas pode chegar a R$ 1 mil


05/07/2022 14:40 - atualizado 05/07/2022 18:04

Leandro Guerra, CEO da Siga Antenado
5G opera na faixa de 3,5 GHz, a mesma banda utilizada pela TV via satélite, conhecida como parabólica (foto: Jair Amaral/EM/D.A. Press)

O sinal 5G vai chegar a Belo Horizonte em julho, de acordo com Leandro Guerra, CEO da Siga Antenado, associação criada pela Claro, Vivo e TIM, com aporte de R$ 6,3 bilhões, como determinação por terem vencido o leilão da nova tecnologia. A declaração foi feita nesta terça-feira (5/7), em um hotel da região Centro-Sul da capital mineira.

“Vai ser neste mês, mas o dia exato ainda não foi definido porque isso depende da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)”, declarou.

Como o 5G opera na faixa de 3,5 GHz, a mesma banda utilizada pela TV parabólica (via satélite), será preciso trocar o equipamento por uma versão digital para evitar interferências no sinal.

“É fundamental a participação e a mobilização da população para a agilidade do processo de migração, com a distribuição e a instalação dos equipamentos”, afirmou.

Belo Horizonte se junta a Brasília, a primeira capital do país a receber o sinal 5G a partir desta quarta-feira (6/7).

São Paulo, Porto Alegre e João Pessoa também terão a tecnologia nas próximas semanas. O prazo para que todas as capitais tenham o sinal vai até 29 de setembro.

Custo pode chegar a R$ 1 mil para 10 milhões de brasileiros


De acordo com a Siga Antenado, 20 milhões de famílias no país utilizam o sinal de TV aberta pela parabólica. Destas, 50% preenchem os pré-requisitos para receber o equipamento digital gratuitamente, já que a troca só não vai ter custos para os consumidores que fazem parte do Cadastro Único do governo federal.

Questionado sobre o custo para os demais dez milhões de famílias, Leandro Guerra disse que não é possível estimar um valor, já que este serviço será feito por empresas privadas, mas afirmou que “não deve passar de R$ 1 mil”.

“Aqui em Belo Horizonte, iremos disponibilizar 2,6 mil equipamentos. Esta é uma estimativa de demanda baseada no cruzamento de dois bancos de informações: o cadastro único do governo federal e uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2019, que perguntou para as pessoas de baixa renda se elas recebiam o sinal da antena parabólica”, explicou o CEO.

Ainda segundo o executivo, em Belo Horizonte vai ser possível realizar 200 instalações por dia, mas o pedido deve ser feito pelo próprio consumidor, por meio do telefone 0800 729 2404 ou pelo site www.sigaantenado.com.br. “Lembrando que estes canais só vão atender as demandas gratuitas, para os usuários que preenchem os pré-requisitos. Os demais devem procurar anteneiros e lojas especializadas para comprar o equipamento”, ponderou.

Quem precisa trocar a antena


Consumidores que assistem TV aberta usando antena parabólica tradicional vão precisar instalar os novos equipamentos da parabólica digital para continuar usufruindo da programação gratuita.

Quem não precisa fazer a troca


Usuários que utilizam TV por assinatura ou já tem acesso à TV Digital por meio da antena digital interna ou externa, do tipo espinha de peixe.

Celulares que têm acesso ao 5G


A quinta geração de internet móvel vai ser disponibilizada pelas operadoras Claro, TIM e Vivo para os celulares mais recentes. De modo geral, os aparelhos lançados nos últimos 12 meses suportam a tecnologia.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade