UAI
Publicidade

Estado de Minas ÍNDICE

O que é o PPI, usado pela Petrobras para aumentar o preço dos combustíveis

Política de preços usada pela estatal foi implementada em 2016, durante o governo de Michel Temer


11/03/2022 21:42 - atualizado 11/03/2022 21:42

Um funcionário da Petrobras observa um tanque dentro de uma estação da estatal
Variação do dólar e do barril de petróleo tem influência direta no cálculo dos combustíveis da Petrobras (foto: Divulgação / Petrobras)

O Preço de Paridade Internacional (PPI) é uma política de preços implementada em 2016, durante o governo do ex-presidente Michel Temer. 

O índice se baseia nos custos de importação, que incluem transporte e taxas portuárias como principais referências para o cálculo dos combustíveis. 

Por estar vinculado ao sistema internacional, a variação do dólar e do barril de petróleo tem influência direta no cálculo dos combustíveis da Petrobras. 

Alteração

O Projeto de Lei (PL) 1.472/2021, aprovado no Senado nessa quinta-feira (10/3), altera a forma de cálculo do preço dos combustíveis, além de criar uma Conta de Estabilização. 

Para o senador Rogério Carvalho (PT-SE), autor do projeto, a adoção do PPI tem consequências para toda a economia e prejudica a população mais vulnerável. 

Um dos argumentos do senador é de que a Petrobras teria diminuído sua capacidade de refino com o intuito de aumentar a presença da iniciativa privada no setor, daí o cálculo do valor com base na PPI. 

"O PPI resulta em ganhos extraordinários para a Petrobras, e o objetivo final seria vender suas refinarias", avaliou o senador.
 

Aumento de preço

Em meio à disparada nos preços dos barris de petróleo por causa da invasão russa na Ucrânia, que afeta diretamente o PPI, a Petrobras anunciou um aumento de 18,8% na gasolina e de 24,9% no diesel.

"Após serem observados preços em patamares consistentemente elevados, tornou-se necessário que a Petrobras promova ajustes nos seus preços de venda às distribuidoras para que o mercado brasileiro continue sendo suprido, sem riscos de desabastecimento”, informou a empresa.

Justiça

Uma ação civil foi aberta pelo Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), na Justiça Federal, para suspender o aumento dos preços dos combustíveis anunciado pela estatal.

A ação pede providências imediatas do encerramento do último reajuste dos preços "com base em despesas e custos não existentes" e a utilização de uma política de preço sobre os combustíveis por parte do governo federal.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade