Publicidade

Estado de Minas LAVOURA

Produtores de banana de Delfinópolis e região computam perdas com o frio

Os prejuízos são incalculáveis por enquanto, mas uma reunião na próxima semana debaterá o assunto envolvendo técnicos da Emater-MG e agricultores


23/07/2021 19:42 - atualizado 23/07/2021 19:49

Baixas temperaturas queimam as folhas e os frutos da banana(foto: Rodrigo Teixeira Luis)
Baixas temperaturas queimam as folhas e os frutos da banana (foto: Rodrigo Teixeira Luis)
A massa de ar frio que passou pelo  país há duas semanas e a geada da última terça-feira (21/07), que causaram uma brusca queda de temperatura, deixaram grandes prejuízos para os produtores rurais de Delfinópolis e região. Muitos cafezais dos municípios vizinhos foram queimados pela geada e prejudicaram produtores. Além do café, as lavouras de bananas tiveram prejuízos que ainda estão sendo computados por técnicos e pelos produtores.

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) está em campo fazendo levantamentos e conversando com produtores. Ainda não se sabe o quanto foi perdido.

“Não dá para calcular o percentual de perda, até porque temos previsão de mais frio para a semana que vem, mas números extraoficiais dão conta de que a perda em Delfinópolis foi de 130 hectares e 150 hectares em Cássia”, disse o extensionista agropecuário de Emater-MG em Delfinópolis, Luiz Otávio Andrade Borges.

Segundo ele, uma reunião será marcada para a próxima semana para discutir o assunto, em Delfinópolis, envolvendo técnicos e produtores de banana.

Cássia possui 600 hectares de área plantada de bananas, mas em Delfinópolis a bananicultura é um ramo forte na cadeia produtiva agropecuária. Segundo Luiz Otávio, são  3.622 hectares de bananas em produção e 252 hectares em implantação.

A Emater-MG calcula que, na safra de 2021, a previsão de banana alcançaria a casa de 84.573 toneladas. Para se ter uma ideia da importância da cultura para aquela região, além dos números, Delfinópolis promove todo ano a Festa da Banana e o município tem a Adelba (Associação dos Produtores de Banana de Delfinópolis e Região).

Ao ver a devastação causada pela geada, alguns produtores pensam em erradicar todas as bananas e trocar por outra cultura. É o caso de Luis Fernando Ferreira da Silva, da fazenda Santa Maria do Mazarello, município de Cássia, que perdeu tudo o que plantou e anuncia que vai migrar para a cafeicultura. “Somos uma empresa a céu aberto. Tenho mais vocação para o café e vou trocar de cultura”, disse.

Luiz Fernando perdeu 18 hectares em produção, 12 em plantio de 8 meses que não estava em produção ainda. Ele pretendia tirar 380 toneladas de bananas, produção escoada para municípios vizinhos e para São Paulo. Só de frutas, o agricultor estima prejuízos da ordem de R$ 600 mil.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade