Publicidade

Estado de Minas 12 DE JUNHO

Comerciantes esperam aumento das vendas no Dia dos Namorados, diz CDL/BH

A expectativa é que as vendas sejam maiores do que no Dia das Mães, injetando mais dinheiro na economia da cidade


01/06/2021 13:06 - atualizado 01/06/2021 13:17

Dia dos Namorados promete alavancar as vendas do comércio em BH(foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
Dia dos Namorados promete alavancar as vendas do comércio em BH (foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
Comerciantes de Belo Horizonte têm expectativa de aumento nas vendas para o Dia dos Namorados. De acordo com uma pesquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), a previsão é que sejam injetados R$ 2,08 bilhões na economia da cidade às vésperas da data.

A pesquisa foi realizada entre 4 e 17 de maio e 51,8% dos comerciantes da capital disseram que esperam um aumento das vendas em comparação ao ano passado. A  previsão é que os consumidores comprem, em média, um presente no Dia dos Namorados, desembolsando um valor médio de R$ 132,59.
 
De acordo com os lojistas, as roupas devem ser a escolha principal dos casais (29,3%). Calçados ocupam a segunda posição (17%) e acessórios como relógios, óculos de sol e bijuterias estão em terceiro lugar (14,7%). Em seguida aparecem: flores (11,7%); cosméticos (11,7%); bombons, cestas de bombons ou de chocolates (10%); itens de decoração (8%); bolsas, malas ou mochilas (5,7%) e utensílios e utilidades domésticas (4%). 
 
A CDL/BH destaca a importância da divulgação dos produtos e dos estabelecimentos. Para isso, os comerciantes têm investido nas redes sociais como principal ferramenta de promoção, como Instagram, WhatsApp e Facebook, que lideram como canais que mais utilizados para divulgar os produtos.
 
“Ao comparar a expectativa de vendas do Dia dos Namorados frente ao Dia das Mães, observamos um maior otimismo com o desempenho das vendas neste mês de junho e isso se deve ao fato de o município ter recuado da onda roxa para a onda vermelha”, analisa o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.
 
"Tendo em vista a instabilidade econômica, os lojistas acreditam que o pagamento à vista no cartão de crédito será a preferência da maioria dos consumidores (47,2%). Em seguida, aparece a opção de parcelamento no crédito (40,2%) e pagamento no cartão de débito (9,3%) ", analisa o dirigente da CDL/BH.
  
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 
 
 
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade