Publicidade

Estado de Minas NOVO CAPÍTULO

Preço do diesel: Minas pede 20 dias para analisar redução, diz sindicato

Representantes do Sindtanque e do Minaspetro se reuniram com gestão Romeu Zema (Novo) nesta sexta (5/3) para discutir alíquota do combustível


05/03/2021 21:58 - atualizado 05/03/2021 22:19

Tanqueiros cobram redução no preço do diesel, mas governo descarta a possibilidade(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Tanqueiros cobram redução no preço do diesel, mas governo descarta a possibilidade (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Novo capítulo na briga dos tanqueiros pela redução do preço do óleo diesel em Minas Gerais, nesta sexta-feira (5/3). Representantes dos sindicatos se reuniram com o governo do estado para apresentar uma proposta de diminuição dos impostos sobre o produto de 15% para 12%. O Executivo estadual pediu 20 dias para responder.

 

As informações são do Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Sindtanque/MG). O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do estado (Minaspetro) também esteve no encontro.

 

O Executivo estadual teve representação de três secretarias: de Governo, de Fazenda e de Planejamento. Elas fazem parte de um grupo de trabalho criado pelo governador Romeu Zema (Novo) nesta semana para deliberar sobre a alíquota do diesel.

 

O desejo dos sindicatos é diminuir a carga do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e de Comunicação (ICMS) sobre o preço final do produto.

 

Em nota, porém, o governo descarta qualquer possibilidade de redução do ICMS sobre o óleo diesel.

 

“Em virtude da situação financeira de Minas Gerais, a Lei de Responsabilidade Fiscal exige uma compensação para aumentar receita em qualquer movimento de renúncia fiscal, o que não torna possível a redução da alíquota do ICMS dos combustíveis”, informou.

 

A alíquota de 15% motivou uma paralisação dos tanqueiros na semana passada. Vários postos ficaram sem combustível na Grande BH.

 

"A categoria resolveu esperar, dando um voto de confiança para nosso governo", disse Irani Gomes, presidente do Sindtanque, sobre o prazo de 20 dias dado pelos gestores para analisar a redução no preço do diesel.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade