Publicidade

Estado de Minas INICIATIVA

Ação 'Combustível a Preço Justo' vai vender gasolina a R$ 3,50 em BH

Campanha criada pelo Sindipetro-MG e pela CUT-MG vai beneficiar 200 motoristas e outros 200 motociclistas que trabalham com aplicativos ou serviços de entrega


03/03/2021 16:45 - atualizado 03/03/2021 17:21

Iniciativa vai possibilitar que motoristas e motociclistas comprem gasolina a preço mais barato(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Iniciativa vai possibilitar que motoristas e motociclistas comprem gasolina a preço mais barato (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

Em tempos de aumento significativo do preço dos combustíveis no Brasil, uma ação criada pelo Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro-MG) e pela Central Única dos Trabalhadores (CUT-MG) possibilitará que motoristas de Belo Horizonte possam abastecer seus carros ao preço de R$ 3,50.

A campanha “Combustível a Preço Justo” será realizada nesta quinta-feira (4/3) num posto do Bairro Santa Efigênia e vai beneficiar 200 condutores de veículos e outros 200 motociclistas.
 
A ação será feita no Posto Rodike S/A, localizado Rua Niquelina, nº 546. Os beneficiados receberão na chegada um voucher e terão de fazer o cadastro antes de abastecer. 
 
A campanha do Sindipetro-MG e da CUT-MG em Belo Horizonte será destinada a quem trabalha com aplicativos de mobilidade e/ou entrega. Motoristas podem abastecer até 20 litros de gasolina por carro. Para motociclistas o limite é de 10 litros por moto.
 
De acordo com Sindipetro-MG, o objetivo da ação é dialogar sobre a necessidade de mudar a atual política de preços, baseada no mercado internacional, além de mostrar que os combustíveis no Brasil podem ser mais baratos.

Em meio à troca do comando da estatal, a Petrobras anunciou na segunda-feira (1º/3) um novo aumento no preço dos combustíveis. O preço médio de venda da gasolina da Petrobras para as distribuidoras passará a ser de R$ 2,60 por litro, refletindo um aumento de R$ 0,12 por litro, ou 4,8%, a partir desta quinta-feira (4/3).

Na semana passada, uma greve mobilizada pelos tanqueiros causou filas nos postos de combustíveis em Minas Gerais e elevou ainda mais o preço da gasolina, que passou de R$ 5,50, e do etanol, superior a R$ 4.
 

Mobilizações pelo país

Em nível nacional, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e sindicatos farão mobilizações semelhantes em vários pontos do país. As atividades de venda subsidiada de combustível serão feitas em parceria com centrais sindicais, sindicatos de outras categorias e movimentos sociais em defesa das estatais, dos serviços públicos e contra a reforma administrativa. Em Minas, a ação será subsidiada pelo próprio Sindipetro/MG e a CUT-Minas.

Na visão do coordenador do Sindipetro/MG, Alexandre Finamori, é necessário que o governo reveja o preço dos combustíveis no país: “Reduzir impostos é importante, mas não é suficiente. Trocar o presidente da Petrobras também não resolve. Vender as refinarias brasileiras muito menos. Nós acreditamos em uma Petrobras estatal que assuma o lado do povo. Uma Petrobras comprometida com o preço justo para a população, e menos com o lucro dos acionistas”.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade