Publicidade

Estado de Minas PROGRAMA SOCIAL

Bolsonaro aborta Renda Brasil, mas autoriza novo programa assistencial

Relator do Orçamento da União para 2021 no Congresso, o senador Márcio Bittar anunciou que presidente disse sim para criação de programa em reunião nesta quarta


16/09/2020 16:09 - atualizado 16/09/2020 16:19

Bolsonaro autorizou Bittar a colocar no Orçamento a criação de um programa social(foto: Alan Santos/PR - 11/9/20)
Bolsonaro autorizou Bittar a colocar no Orçamento a criação de um programa social (foto: Alan Santos/PR - 11/9/20)

O presidente Jair Bolsonaro desistiu do Renda Brasil, mas continua com planos de criar um novo programa social. Após reunião com o presidente nesta quarta-feira (16), no Palácio do Planalto, o relator do Orçamento da União para 2021 no Congresso, o senador Márcio Bittar (MDB-AC), anunciou que Bolsonaro autorizou estudos para a área.

“Tomei café da manhã com o presidente da República. Agora, antes do almoço, conversamos mais um pouco, e eu fui solicitar ao presidente se ele me autorizava a colocar dentro do Orçamento a criação de um programa social que possa atender a milhões de brasileiros que foram identificados ao longo da pandemia e que estavam fora de qualquer programa assistencial. O presidente me autorizou”, apontou Bittar.

Porém, o senador não informou qual será a fonte de recurso para a proposta, que será fechada na próxima semana: “Não adianta agora a gente especular da onde que vai cortar, mas estou autorizado pelo presidente. Ele me deu sinal verde e, a partir de agora, vou conversar com os líderes do governo no Senado e na Câmara, conversar com a equipe econômica. Na semana que vem, a ideia é apresentar um relatório que tenha as PECs e também a criação desse programa”.

Por fim, o senador justificou que há 20 milhões de brasileiros desassistidos no país: “O que é fundamental é que, a partir de janeiro, o decreto de calamidade vai ter terminado, mas você tem 20 milhões de brasileiros que vão continuar desempregados. E o Estado precisa deixar esses brasileiros irem dormir no dia 31 de dezembro tranquilos, com o programa já criado, garantindo dignidade humana”.

Proibido falar em Renda Brasil


Na manhã dessa terça (15), Bolsonaro ameaçou com um “cartão vermelho” a equipe econômica. Em uma publicação nas redes sociais, o chefe do Executivo postou uma mensagem afirmando que “congelar aposentadorias, cortar auxílio para idosos e pobres com deficiência, um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade”.

Ele emendou que o governo “jamais tiraria dinheiro dos pobres para dar aos paupérrimos”.

Em nova indireta para o ministro da Economia, Paulo Guedes, Bolsonaro ressaltou também que os que pensam nesses tipos de medidas “não têm coração”.

Por fim, Bolsonaro anunciou a desistência sobre o programa Renda Brasil, que ficaria no lugar do Bolsa Família. “Até 2022 no meu governo, está proibido falar em Renda Brasil, vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade