Publicidade

Estado de Minas

Turismo no Brasil é turbinado por passaportes sem visto

Com medida que passa a valer em junho, governo detecta aumento de até 97% para entrada de norte-americanos e de 135% para canadenses em comparação com os números de 2018


postado em 12/04/2019 06:00 / atualizado em 12/04/2019 09:10

 

Um dos principais destinos turísticos do Brasil, como as praias da Bahia, deve receber mais estrangeiros neste ano(foto: Sidney Lopes/EM/D.A PRESS 24/8/18)
Um dos principais destinos turísticos do Brasil, como as praias da Bahia, deve receber mais estrangeiros neste ano (foto: Sidney Lopes/EM/D.A PRESS 24/8/18)

A medida tomada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) de dispensar a necessidade de visto para turistas dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão, segundo o Ministério do Turismo, já resultou em aumento real da demanda. Segundo o ministro Marcelo Álvaro Antônio, o fluxo de pesquisa nesses países tendo o Brasil como destino apresentou aumento, o mesmo ocorrendo com as reservas efetivamente confirmadas. Em alguns casos, como os de visitantes do Canadá, houve crescimento de mais de 100% no fluxo, conforme dados oficiais. Editado em março, o decreto entrará em vigor em 17 de junho.

Ainda de acordo com o ministro, no caso dos turistas dos Estados Unidos, a elevação chega a 53% das viagens confirmadas para junho e 97% para julho, se levados em conta os números do ano passado. Para agosto, a alta foi de 33%.  Sobre os canadenses, a taxa foi considerada por ele como “impressionante”, com alta de 86% nas reservas programadas para junho, 54 % para julho e de 135% para agosto. “Certamente, vai impactar em toda a cadeia produtiva do Brasil. Que seja em restaurantes, hotéis, na contratação. Entregando para a nossa população o que tem de mais precioso, que é emprego e renda”, projeta Marcelo Álvaro Antônio.

A mudança positiva de interesse foi sentida desde quando os vistos para esses quatro países passaram a ser concedidos de forma virtual, no começo de 2018, impactando positivamente o fluxo de visitantes, contabiliza o ministro. “Em apenas um ano de funcionamento do e-Visa, houve aumento de 15,7% na entrada desses viajantes no território nacional, o que resultou em uma injeção de R$ 450 milhões na economia brasileira”, disse.

A reação, agora impulsionada pela liberação definitiva do visto, é comemorada pelo ministro Marcelo Álvaro Antônio, que se vê às voltas com investigação contra ele, feita pela Polícia Federal, sob a acusação de ter lançado candidatas laranjas em Minas Gerais nas últimas eleições legislativas. Ele será investigado por falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. O esquema, conforme as apurações, consistia em repasse para candidatas que concorriam pelo PSL, obrigadas a devolver parte dos valores. Ainda com base na denúncia, os gastos tinham que ser feitos em prestadores de serviços que teriam ligação com assessores do ministro. Ao ser questionado sobre o assunto, o presidente Jair Bolsonaro disse recentemente que se as investigações da PF comprovarem as irregularidades, o ministro pode ser exonerado: “Uma vez que tiver o relatório final da PF, vamos analisar”.

MAIS INTERESSE  Assim como para os EUA e Canadá, o aumento é computado também para Austrália e Japão. De acordo com o site internacional de viagens Kayak, nos cinco dias subsequentes ao anúncio da medida liberatória, em março, as buscas por passagens aéreas para o Brasil subiram 36% entre australianos e 4% entre os japoneses.

Aumento de reservas após nova regra


Dos Estados Unidos

» 53% para junho

» 97% para julho

» 33% para agosto


Do Canadá


» 86% para junho

» 54% para julho

» 135% para agosto

Fonte: Ministério do Turismo

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade