Publicidade

Estado de Minas

Turismo religioso movimenta bilhões de reais

Com o aumento do número de evangélicos no país, companhias aéreas, agências de turismo e até igrejas investem em serviços e viagens para destinos sagrados


postado em 26/04/2019 06:00 / atualizado em 26/04/2019 09:12

Cadetral-basílica de Aparecida, em São Paulo, recebeu, em 2018, 12 milhões de visitantes. País recebe mais de 30mil peregrinos estrangeiros por ano(foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)
Cadetral-basílica de Aparecida, em São Paulo, recebeu, em 2018, 12 milhões de visitantes. País recebe mais de 30mil peregrinos estrangeiros por ano (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)

São Paulo – Três vezes por semana, a companhia Latam Airlines decola do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, um Boeing 787-8 Dreamliner lotado com destino à capital de Israel, Telavive. O voo, sem escalas e com duração de 15 horas, é o mais longo operado pela empresa. Apesar de demorado e cansativo, o trecho tem sido um dos mais disputados por turistas brasileiros que vistam a Terra Santa.

“Israel está no quinto continente conectado pela Latam. Com esta nova possibilidade para Telavive, também somos a única empresa da região com voos próprios para o destino”, disse Claudia Sender, vice-presidente de clientes do Grupo Latam Airlines, na inauguração da rota, em dezembro último. “A demanda por voos entre Brasil e Israel tem crescido muito, seja para negócios, turismo convencional ou religioso.”

O interesse pelo voo sem escala entre Brasil e Israel se justifica. O turismo religioso, antes dominado por católicos, tem se popularizado também entre outros grupos religiosos, especialmente evangélicos, que cresceram 61% nos últimos 10 anos no país, segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Depois de divulgar no ano passado um faturamento de R$ 15 bilhões no segmento voltado à venda de  pacotes para destinos religiosos, o Ministério do Turismo estima que essa indústria possa superar a casa dos R$ 20 bilhões neste ano. “Mesmo com a instabilidade do dólar e os problemas de violência mostrados pela mídia em locais de grande volume de turistas, as perspectivas são muito positivas para o segmento”, afirma Luis Henrique Barreto, coordenador de produtos da agência Catedral Viagens, especializada no ramo.

Em 2017, o mercado do turismo religioso movimentou 20 milhões de viagens. Já o Brasil, maior país católico do mundo, recebeu 30 mil peregrinos estrangeiros, que vieram visitar as mais de 200 atrações voltadas à fé. Entre elas se destacam Aparecida, em São Paulo, Nova Jerusalém, no agreste pernambucano, o Santuário do Padre Cícero, que leva milhares de fiéis a Juazeiro do Norte, no interior do Ceará, e Belém do Pará, onde se comemora o tradicional Círio de Nazaré. Apenas a Catedral-basílica de Aparecida recebeu, no ano passado, 12 milhões de visitantes.

Uma das principais agências de turismo da cidade paranaense de Londrina, a Sacratour, voltada ao turismo religioso, está neste ano com vendas 20% acima do mesmo período do ano passado, de acordo com a sócia Melissa Calsavara. Ela garante que a procura tem sido mais alta para roteiros internacionais, especialmente à Europa e Ásia. Há rotas à Turquia e à Grécia.

Além das agências de turismo, as próprias igrejas têm enxergado no segmento uma possibilidade de prosperidade financeira. O pastor Silas Malafaia, líder da igreja Assembleia de Deus, tem oferecido pacotes em suas redes sociais, com passeio a destinos como Rio Jordão e Jardim do Getsêmani, pontos históricos do cristianismo. A “Caravana com o Pastor Silas Malafaia”, como é chamado o serviço, inclui Israel, Dubai e Jordânia, com parcelamento em 14 vezes.

Mais opções


À medida que a demanda cresce, as empresas do setor do turismo vão criando novos serviços para o público de mais fé. A operadora Turismo da Fé liberou o aplicativo “Fala Peregrino” e o “Passaporte da Fé” a quem pretende conhecer o Circuito Religioso em Aparecida, Cachoeira Paulista, Guaratinguetá, Frei Galvão, Cunha e Lorena e Rose, além de outras cidades paulistas que reúnem 1,6 milhão de frequentadores nas datas consideradas especiais.

Não faltam opções. Em Minas Gerais, as cidades históricas também são ambientes adequados a procissões e cerimônias religiosas. Um dos eventos mais importantes é a Cruz de Todos os Povos, em Divinópolis. Em outubro, o Maringá CVB irá organizar o 2º Fórum do Turismo Religioso. Enquanto isso, a catarinense Nova Trento recebe milhares de pessoas no Santuário de Madre Paulina.

No Sul, a rota da fé – ou Caminhos de Caravaggio – é formada pelos Santuários de Nossa Senhora do Caravaggio, Farroupilha e Canela. Já o Vale do Cariri (CE) expõe a histórica imagem de Padre Cícero, o “Padim Ciço”, que transformou Juazeiro do Norte em um dos mais valorizados centros religiosos do país.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade