Publicidade

Estado de Minas

Mater Dei quer acelerar expansão hospitalar para outros estados

Depois de inaugurar o terceiro complexo hospitalar em Minas Gerais, em Betim, grupo avalia investimentos em hospitais fora do estado, no Sudeste e Centro-Oeste


postado em 25/01/2019 06:00 / atualizado em 25/01/2019 09:50

Hospital Mater Dei de Betim-Contagem, inaugurado na semana passada, marca crescimento da rede hospitalar (foto: Samuel Gê/Divulgação Mater Dei )
Hospital Mater Dei de Betim-Contagem, inaugurado na semana passada, marca crescimento da rede hospitalar (foto: Samuel Gê/Divulgação Mater Dei )

Na semana passada, o presidente da Rede Mater Dei, Henrique Salvador, que comanda um dos mais renomados grupos hospitalares de Minas Gerais, passou mais tempo no avião e em conexões em aeroportos brasileiros do que em seu escritório na capital mineira. Parte da jornada se justifica pelos planos de expansão que o empresário tem rascunhado para a companhia nos próximos anos. “Vamos definir um plano de expansão para além do território mineiro, com investimentos em outras partes do Sudeste e do Planalto Central”, afirmou Salvador, durante uma de suas trocas de voos no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. “Estou indo agora para Porto Alegre, outro mercado com grande potencial para a área médica”, acrescentou.

O otimismo de Salvador se baseia em sua convicção de que a aguardada expansão da economia brasileira neste ano, que tem ajudado a reduzir o desemprego, vai reaquecer a indústria da saúde. “O setor hospitalar está passando por um processo de expansão e consolidação, com a entrada de grandes grupos nacionais e estrangeiros”, disse o presidente da Mater Dei. “Sabemos que precisamos fazer bons investimentos para não perder a chance de acompanhar esse crescimento”, completou (leia mais na entrevista abaixo).

A ofensiva da Mater Dei, que faturou R$ 680 milhões no ano passado, um crescimento de 15% sobre 2017, se dá em um período emblemático para o grupo, fundado em 1980. Na semana passada, a empresa abriu as portas de seu terceiro hospital, a unidade Betim-Contagem, localizada no número 15.500 da Via Expressa, em Betim. Trata-se do primeiro hospital a operar fora da capital mineira. A unidade nasce com a proposta de levar para a região metropolitana o mesmo padrão de serviço e infraestrutura da Mater Dei Santo Agostinho, em operação desde o início da história da empresa, e do Mater Dei Contorno, inaugurada em 2014.

Unidade na Região Metropolitana de BH conta com recursos de última geração para garantir o padrão de atendimento(foto: Fotos Samuel Gê/Divulgação Mater Dei)
Unidade na Região Metropolitana de BH conta com recursos de última geração para garantir o padrão de atendimento (foto: Fotos Samuel Gê/Divulgação Mater Dei)

Segundo o presidente, essa inauguração escreve um importante capítulo da história da empresa. “Mais do que apenas abrir um novo hospital, nossa missão é apresentar um novo conceito de excelência em serviço para nossos pacientes”, afirma. “Além disso, queremos ser referência em qualidade de gestão financeira, garantindo custos mais baixos e maior acesso à medicina de qualidade”, completa. A estratégia de ampliar o acesso se explica pelos números mais recentes do setor. Pelos cálculos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em três anos, de 2015 a 2018, houve redução de 3,1 milhões de usuários de planos de saúde no país, fenômeno que impactou nas receitas de todas as empresas da área médica.

Nesse ambiente, o custo é, indiscutivelmente, um ponto nevrálgico do setor da saúde, atualmente. Tanto é que começam a surgir tecnologias voltadas especificamente à administração desse segmento. “Mais de 40% dos gastos das empresas com planos de saúde de seus funcionários poderiam ser evitados se houvesse melhor gestão”, garantiu o consultor na área médica Francisco Vignoli, fundador da Carelink, um banco de dados com informações médicas, voltado à redução do desperdício na área médica.

“Estamos criando soluções que monitoram, armazenam e catalogam todas as informações sob re serviços utilizados nos planos de saúde dos usuários, e que realizam toda a logística de dados médico-hospitalares”, disse Vignoli. “A tecnologia realmente pode operar milagres nos cofres das empresas brasileiras, basta que seja realizado um diagnóstico preciso e que seja prescrito o tratamento adequado, dessa forma e possível manter a saúde e os custos equilibrados.”

TECNOLOGIA

O grupo Mater Dei sabe que a tecnologia, seja na gestão ou na infraestrutura, é fundamental para garantir um crescimento robusto nos próximos anos. Tanto é que o Salvador liderou uma comitiva de especialistas e parceiros a uma visita ao Apple Park, em Cupertino, na Califórnia, nos Estados Unidos. O objetivo foi compartilhar conhecimentos e experiências do setor no Brasil e realizar uma imersão nos campos de inovação e tecnologia.

“A visita de trabalho à Apple proporciona conhecermos e termos acesso a tecnologias que contribuem para facilitar a conectividade e atuação dos profissionais de saúde em benefício dos nossos pacientes. Buscamos sempre o que há de novo e que pode ser aplicado na área da saúde e investimos em tecnologia e inovação para dar suporte e facilitar a interação da comunidade Mater Dei – pacientes, corpo clínico e equipes assistenciais e de apoio”, afirma o presidente.

Após a visita à Apple, os executivos terminaram a semana visitando a matriz do Ochsner Medical Center em Nova Orleans, uma rede com dezenas de hospitais em diversos estados do país. “Pudemos observar na prática os conceitos que foram demonstrados na visita à Cupertino, sede da Apple. Fomos recebidos por Richard Milani, diretor médico da Ochsner, e sua equipe de médicos, gestores e especialistas em Inovação. Ao visitar as instalações do complexo e observar as inúmeras interações entre pacientes, médicos e hospital, percebi o quanto a tecnologia pode apoiar a melhoria da assistência e a experiência de médicos, enfermagem e o paciente”, enfatizou Henrique Salvador.

Entrevista/ Henrique Salvador, presidente do Mater Dei

“Prosperidade depende de controle de custos”

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press 7/2/14 )
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press 7/2/14 )
Em tempos de aumento da concorrência na área médico-hospitalar, é fundamental cuidar da contabilidade, segundo Henrique Salvador, presidente da Rede Mater Dei. O executivo afirma que o caminho para a expansão dos negócios da empresa será possível apenas com a manutenção permanente de uma gestão rígida, com precisão cirúrgica. Acompanhe a entrevista a seguir:

Por que o plano de expansão será focado fora de Minas Gerais?
Existem mercados importantes no país que queremos, e precisamos estar. Estou, pessoalmente, prospectando oportunidades de investimentos em novos locais, já que nossa presença em Minas Gerais está bem consolidada. Por isso, vamos definir um plano de expansão para além do território mineiro, com investimentos em outras partes do Sudeste e do Planalto Central.

A concorrência nesses mercados, como São Paulo e Rio de Janeiro, não desencoraja investimentos por lá?
De forma alguma. Ainda há um imenso potencial de expansão do setor de saúde em todas as partes do Brasil. O setor hospitalar está passando por um processo de expansão e consolidação, com a entrada de grandes grupos nacionais e estrangeiros. Sabemos que precisamos fazer bons investimentos para não perder a chance de acompanhar esse crescimento.

 

O que diferencia a Mater Dei dos concorrentes?
Na parte da gestão, temos uma obsessão por controle de custos. A prosperidade no setor médico, atualmente, depende de um rígido controle de custos. Afinal, o mercado é extremamente competitivo. Internamente, temos também um foco muito grande na excelência do atendimento, na qualidade dos serviços. Além disso, temos respaldo de nosso trabalho com certificação de instituições acreditadoras internacionais, instituições que auditam os hospitais comprovando que a nossa forma de operar está em sintonia com os melhores padrões internacionais de qualidade e segurança. Nossa recém-inaugurada unidade de Betim, por exemplo, é um hospital completo, auto-resolutivo, com capacidade de atender toda a demanda de Contagem, Betim, Oeste, Triângulo Mineiro e Sul de Minas Gerais. O fato de estar às margens de uma rodovia importante facilita o acesso e dá mais agilidade para todos.


Publicidade