Publicidade

Estado de Minas

Empresário mineiro e fundador da MRV vai trazer operação da CNN para o Brasil

Grupo nacional, que terá o licenciamento da marca americana no País, terá um canal de notícias 24 horas a ser transmitido por meio de TV por assinatura


postado em 14/01/2019 19:38

(foto: LEO DRUMOND / NITRO )
(foto: LEO DRUMOND / NITRO )

O empresário mineiro Rubens Menin, fundador e presidente do conselho da construtora MRV, vai trazer para o Brasil a operação do canal de notícias CNN. A empresa Novos Mídia, de capital brasileiro, terá Douglas Tavolaro, que deixou a Rede Record após 17 anos, como presidente.

O grupo nacional, que terá o licenciamento da marca americana no País, terá um canal de notícias 24 horas a ser transmitido por meio de TV por assinatura e por plataformas digitais.


O objetivo da companhia é que o novo projeto esteja em operação no início do segundo semestre de 2019. O trabalho de preparação do canal e do site começa imediatamente, com previsão de contratação de 400 jornalistas.

A CNN Brasil terá sede em São Paulo, com escritórios previstos também para Rio de Janeiro e Brasília. Menin anunciou o projeto em sua conta na rede social Twitter.


Em entrevista ao Estado nesta segunda-feira, 14, Menin afirmou que o projeto nasce em um momento importante para a consolidação da democracia do Brasil. "Acho que a CNN é uma marca séria, com credibilidade e idônea", disse ele. A maturação do projeto, que culminou com o anúncio da parceria para o licenciamento da marca, durou cerca de um ano, de acordo com o empresário.


"Embora o setor de mídia esteja passando por dificuldades, acreditamos que o projeto irá dar certo", frisou Menin. Ele lembrou ainda que o conteúdo a ser gerado pela CNN Brasil também poderá ser uma forma de mostrar o Brasil lá fora.

O empresário, que também é fundador do Banco Inter e da Log Commercial Properties, não revelou o valor a ser investido no novo canal.


Em comunicado, a CNN Brasil anunciou que os projetos CNN International e CNN en Español, que são de responsabilidade da matriz, continuam a ser restransmitidos no País e que não terão relação com o projeto em português.

"O Brasil é um país empolgante para continuar a expansão da marca CNN", disse o vice-presidente de vendas de conteúdos da CNN International Commercial (CNNIC), Greg Beitchman.


"A CNN é um ícone global, e a parceria com essa marca é um sonho de um jornalista se tornando realidade", disse Tavolaro, no comunicado.

A companhia, que pertence ao grupo Turner (que faz parte da Warner, hoje controlada pela AT&T), chegou a ter um serviço próprio em português no Brasil, nos anos 2000, mas o projeto não prosperou.


Publicidade