Publicidade

Estado de Minas

Confira as estratégias dos comerciantes de BH para a Black Friday

Esticar a promoção por uma semana faz parte da receita para obter êxito nas vendas


postado em 20/11/2018 06:00 / atualizado em 20/11/2018 08:21

Cautelosa, a estudante Natália Araújo já tem pesquisado os preços para conferir as ofertas, nesta semana, por um sonhado televisor(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Cautelosa, a estudante Natália Araújo já tem pesquisado os preços para conferir as ofertas, nesta semana, por um sonhado televisor (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)

Descontos agressivos, programação estendida e confiança na relação com o cliente. Essas são algumas das estratégias com as quais comerciantes de Belo Horizonte têm planejado suas ações para contornar eventuais receios do consumidor com o megaevento de promoções Black Friday ou sua variação Black Week, na versão ampliada para toda a semana. Até sexta-feira e, principalmente, no dia 23, as lojas da capital terão compradores de olho em bons negócios para o fim de ano.

Segundo pesquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH), quase metade dos consumidores entrevistados (48,3%) estão aguardando a famosa queda nos preços da última sexta-feira de novembro para ir em busca dos produtos desejados. A maioria (60,5%) espera reduções de 41% a 60% nos valores. Dessa forma, as empresas pretendem dar descontos significativos para garantir que os clientes mantenham a confiança na relação com a loja.

O varejo de produtos de decoração e para a casa é um dos segmentos do comércio de BH que prometem dezenas de ofertas e cortes nos preços. Durante a comemoração de seus 70 anos, a Othon de Carvalho Material Elétrico prepara programação com grandes descontos. Segundo Rodrigo de Carvalho, gerente de marketing da empresa, a Black Friday é uma oportunidade para reafirmar a relação de confiança com os clientes.

Gerente de marketing de rede varejista de material elétrico, Rodrigo de Carvalho promete cortes agressivos nos preços de 50 produtos(foto: Othon de Carvalho/Divulgação)
Gerente de marketing de rede varejista de material elétrico, Rodrigo de Carvalho promete cortes agressivos nos preços de 50 produtos (foto: Othon de Carvalho/Divulgação)

“Um dos valores que preservamos é a veracidade. O preço vai ser diferenciado, com descontos agressivos. Conseguimos negociações diferenciadas com fabricantes e fornecedores, além da redução das margens de lucro na venda de diversos itens. Alguns chegaram ao preço de custo”, comenta Carvalho, lembrando que os consumidores devem pesquisar e garantir os descontos. “Se pegar o período de até cinco meses, vamos ter abaixado muito. Estamos entrando para fazer um preço diferente.” A Othon de Carvalho promete incluir cerca de 50 produtos na lista de promoções até a sexta-feira.

Para alavancar o fluxo de clientes e as vendas, as lojas estenderam o dia de descontos para a semana toda. Várias empresas da capital já estampam, desde ontem, a campanha ‘Black Week’ e afirmam ter descontos tão bons quanto os programados para a sexta-feira. No Shopping Minascasa, diversos estabelecimentos já praticam preços mais baixos em produtos de decoração para o lar ou escritório.

“Durante a ‘Black Week’ oferecemos produtos de qualidade com descontos exclusivos para os clientes e atraímos mais consumidores nesta semana de ofertas, aumentando o fluxo do shopping”, afirma Kamila Pires, analista de Marketing do centro de compras.

Com cautela, a estudante Natália Araújo, de 21 anos, pretende comprar um televisor e mantém o hábito de pesquisar os preços nas lojas antes de definir a compra. “Costumo pesquisar um pouco antes nesta época do ano, porque já sabemos que vai ter a Black Friday. Aqueles produtos que você está procurando durante o ano costumam ter os preços um pouco mais baixos”, disse.

Na expectativa


Ainda de acordo com a pesquisa realizada pela CDL-BH, os eletrodomésticos e eletrônicos são os itens mais desejados dos belo-horizontinos e representam 31,2% das intenções de compra dos consumidores entrevistados. No ‘pódio’ dos mais procurados, as roupas aparecem na segunda posição, com 14,6%, e os calçados no terceiro lugar, com 11,8%. O levantamento apontou que metade dos consumidores (49,5%) pesquisa sempre ou quase sempre os preços.

“O consumidor está cada vez mais atento aos preços, realizando pesquisas constantes para ter certeza que o produto escolhido realmente está com um valor vantajoso”, comenta o vice-presidente da CDL/BH Marcelo de Souza e Silva. Com a expectativa de grandes descontos e boas promoções, os belo-horizontinos planejam gastar, em média, R$ 555 com cada item. Este valor mais alto é explicado pelos produtos que serão adquiridos.

“Parte da população espera a data para comprar produtos de maior valor, como televisores, geladeiras, celulares, tablets, vídeo games, entre outros. Esses itens costumam ter um percentual significativo de descontos na Black Friday”, comenta o vice-presidente da CDL/BH.

O técnico em eletrônica Ramon Estevam, de 47, vê com desconfiança a programação das empresas no período de descontos. No entanto, ressalta que a pesquisa é a forma de se prevenir de erros na escolha. “Já venho pesquisando há mais tempo máquina de lavar e pneus para o carro, mas, pelo que tenho visto, tudo tem aumentado de preço, para depois descer. É uma falsa impressão de desconto. Tenho pesquisado nas lojas e na internet também. Se abaixar para um pouco menos do que estava antes já tenho intenção de adquirir. Se abaixar para igual estava não adianta”, observa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade