Publicidade

Estado de Minas

Rede de churrascaria Fogo de Chão muda de dono

Fundada no Brasil há quatro décadas, rede de churrascarias passará para as mãos do fundo americano Rhône Capital. Negócio de R$ 560 milhões será concluído no segundo semestre


postado em 21/02/2018 12:00 / atualizado em 21/02/2018 12:18

Atualmente, o rede de churrascarias Fogo de Chão conta com 38 restaurantes nos Estados Unidos e nove no Brasil(foto: Fogo de Chão/Divulgação)
Atualmente, o rede de churrascarias Fogo de Chão conta com 38 restaurantes nos Estados Unidos e nove no Brasil (foto: Fogo de Chão/Divulgação)

São Paulo – A rede de churrascarias Fogo de Chão, que começou a sua história no fim dos anos 1970 no Rio Grande do Sul, mudou de mãos mais uma vez. Ontem, foi anunciado que o controle da empresa passará das mãos do gestor de fundos Thomas H. Lee Partners (THL) para outro fundo, o Rhône Capital, ambos americanos.

Fundado em Porto Alegre, em 1979, pelos irmãos Arri e Jair Coser, além de mais dois sócios, o Fogo de Chão teve seu controle adquirido pelo GP Investimentos em 2011, por US$ 117,6 milhões. Em 2012, passou para as mãos da Thomas H. Lee Partners, sediada em Boston, em um negócio de US$ 400 milhões. Três anos depois, em junho de 2015, seu capital foi aberto e as ações passaram a ser negociadas na bolsa americana Nasdaq.


Agora, a THL negociou o controle para o Rhône Capital por US$ 560 milhões. Procurados, os dois fundos informaram que não falariam sobre o negócio e que todas as informações estavam no comunicado divulgado ao mercado. A Rhône, que administra cerca de US$ 5 bilhões em ativos, informou que pagará US$ 15,75 por ação, ou seja, um prêmio de 25,5% em relação ao valor dos papéis do Fogo de Chãos no fechamento das negociações na Nasdaq na última sexta-feira.


“Após uma profunda avaliação das opções disponíveis, o conselho de administração está certo de que esse negócio dará à Fogo de Chão uma oportunidade significativa de obter o maior valor possível para os nossos acionistas, ao mesmo tempo em que dá o melhor rumo para a marca, seus funcionários e clientes”, afirmou por meio de nota o diretor-executivo da rede de churrascarias, Larry Johnson. Ainda segundo Johnson, a direção da companhia está confiante sobre o resultado da parceria por conta da trajetória do Rhône Capital de “apoio e geração de crescimento lucrativo para empresas de todo o mundo”.


De acordo com o comunicado, o negócio entre os dois gestores de fundos é o resultado de um processo de revisão de alternativas estratégicas conduzido pelo Conselho de Administração. Os fundos ligados a Thomas H. Lee Partners, L.P. e alguns executivos do Fogo possuem juntos mais de 60% das ações da rede de churrascarias. Apesar de o negócio ter sido anunciado agora, a previsão é que seja finalizado apenas no segundo trimestre deste ano. Atualmente, o Fogo de Chão conta com 38 restaurantes nos Estados Unidos e nove no Brasil, além de quatro unidades por meio de joint-ventures – duas no Oriente Médio e outras duas no México.


Eytan Tigay, diretor do Rhône Capital, informou na mesma nota que espera manter o ritmo de crescimento da empresa. O executivo aproveitou a oportunidade para falar da operação. “A experiência que o Fogo oferece aos consumidores é uma combinação insuperável de qualidade e valor em um autêntico ambiente de churrascaria brasileira. Acreditamos que a presença global e de longa data da nossa empresa no Brasil serão um complemento natural para o negócio e servirão para facilitar os planos de expansão interna e internacional do Fogo.


A consultoria financeira na transação foi feita pela Jefferies LLC. Davis Polk & Wardwell LLP e Weil, Gotshal & Manges LLP foram responsáveis pela parte jurídica, enquanto o J.P. Morgan Securities LLC atuou como consultor financeiro e a Sullivan & Cromwell LLP serviu como assessor jurídico da Rhône. Os recursos financeiros serão fornecidos pelo Credit Suisse e Wells Fargo Bank.

 

Apetite por investimentos

 

Depois de deixar o controle do Fogo de Chão, um de seus fundadores, Jair Coser, decidiu voltar ao segmento de restaurantes. Assim, tornou-se dono da rede Corrientes 348, que conta com quatro unidades em São Paulo, duas no Rio de Janeiro e uma em Dallas, nos Estados Unidos.


Recentemente, Coser abriu no Rio, no ponto comercial onde antes funcionava a tradicional churrascaria Porcão, uma outra bandeira, a Assador Rio’s, com investimento de R$ 10 milhões.
Já o irmão Arri Coser se associou à irmã Mairi e tornou-se um dos sócios da bandeira NB Steak, que tem seis unidades. Ele também é controlador da MDPZ Participações, dono da rede de pizzarias Maremonti em parceria com a gestora de fundos de private equity BR Opportunities.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade