UAI
Publicidade

Estado de Minas EM Entrevista

Kalil: 'TJMG proíbe a PBH de tirar o morador de rua da rua'

Ex-prefeito de BH e pré-candidato ao governo de Minas esteve no podcast 'EM Entrevista' e comentou sobre os obstáculos de amparar a população em situação de rua


23/05/2022 16:49 - atualizado 23/05/2022 18:10

Alexandre Kalil é um homem de pele clara. Ele usa uma camisa preta e, em sua frente, está um microfone suspenso.
Alexandre Kalil é o convidado do dia no podcast EM Entrevista desta segunda (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Alexandre Kalil (PSD), ex-prefeito de Belo Horizonte e pré-candidato ao governo de Minas Gerais, participou, na manhã desta segunda-feira (23/5), do podcast EM Entrevista, transmitido ao vivo no canal do Portal Uai. Durante a conversa, que abordou temas relativos às eleições de 2022, também foi questionado sobre políticas públicas direcionadas à população em situação de rua durante seus mandatos.

Kalil admitiu que a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) não pôde tirar a população em situação de rua por causa de uma determinação do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).


Ações de acolhimento para a população em situação de rua

De acordo com o ex-prefeito de Belo Horizonte, o TJMG impediu, durante seus mandatos, que a PBH retirasse moradores de rua das ruas. “Talvez se a oposição, essa mesquinha idiota lá da Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais), dos empresários, dos milionários, soubessem que a prefeitura não pode tirar morador de rua da rua; não pode recolher aquela ‘bagulhada’ que está [nas ruas] por uma decisão do desembargador do TJMG, nós íamos conversar”, afirma ele.

A decisão do TJMG sobre a qual Kalil fala, na realidade, tem um longo histórico.

Desde 2013, o Tribunal de Justiça aprova decisões que proíbem a PBH de apreender os pertences de moradores de rua sob o argumento de defesa dos direitos dessa parcela da população. Em 2019, após um pedido de recurso da PBH, a decisão foi reforçada e, em outubro de 2021, em decorrência do aumento da população de rua durante a pandemia da COVID-19, uma nova determinação foi imposta.

Em 2018, Kalil defendeu a retirada e o acolhimento da população que vive nas ruas de BH. Na ocasião, entregou obras de dois centros de saúde da capital mineira e reforçou a necessidade de se intensificar trabalhos que dêem amparo aos moradores de rua.

“Nós vamos tirar, mas nós não podemos tirar e jogar no mar. Nós temos que tirar e acolher. Então, nós não podemos fazer de Belo Horizonte o hotel cinco estrelas para morador de rua e por outro lado nós não podemos tirar morador de rua e jogar no mar”, disse o ex-prefeito.

Durante o EM Entrevista, Kalil reforçou que as intenções para a retirada dessa parcela da população das ruas não é sobre higienização, mas sim sobre a realização de ações humanitárias. “Quando eu entrei com uma ação forte para resolver isso, a Justiça impediu. Não é higienizar, viu? Aquilo é gente. Aquilo não é gato, cachorro, passarinho, não. Imagine as pessoas que estão na rua. Eles não estão na rua à toa”, afirma.

Confira a entrevista completa:

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade