Publicidade

Estado de Minas ACESSIBILIDADE EM ALTA

Com apoio de intérprete de Libras, parto de gestante surda emociona em MG

A intérprete de libras contribuiu para uma melhor comunicação na hora do parto entre a gestante e a equipe médica


23/02/2021 11:13 - atualizado 23/02/2021 13:35

Jocilane, a intérprete de Libras, faz o sinal
Jocilane, a intérprete de Libras, faz o sinal "Eu te amo", marca da comunidade surda. Ela foi fundamental na comunicação de Kelly com a equipe médica do Hospital e Maternidade Vital Brazil (foto: Jocilane Fideles Divulgação)
O dia 16 de fevereiro de 2021 foi especial e entrou para a história do Hospital e Maternidade Vital Brazil, em Timóteo, Vale do Aço. Nesta data, a equipe médica do Vital Brazil realizou o primeiro parto de uma gestante deficiente auditiva com a ajuda de uma intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

A história tem duas personagens principais, que emocionaram a todos: a dona de casa Kelly Cristina Vasconcelos Martins Moreira, de 35 anos, e sua acompanhante, a intérprete de Libras, Jocilane Moreira Santos Fideles, de 50. 

É claro que o protagonista principal brilhou nas cenas do último capítulo. Ele chegou e botou banca, saudável, pesando 3 quilos e meio, e medindo 48 centímetros. O garotão tem nome e sobrenome: Nicolas Lucca Vasconcelos Moreira.

Poderia ter sido mais um parto rotineiro no Vital Brazil, mas esse foi diferente e inédito. Kelly era uma gestante surda e teve o acompanhamento de sua amiga Jocilane, a intérprete de Libras, que foi essencial na comunicação entre Kelly e a equipe médica.

"Eu a acompanhei desde o preparo, no quarto, até a entrada na sala de parto. Fiquei ao lado dela o tempo todo. Ela me olhava e dava um sorriso, me vendo sentada ao lado da maca", disse, Jocilane.

A equipe médica do Vital Brazil informou que a gestação merecia atenção especial devido a uma anormalidade no desenvolvimento do feto, caracterizado pela baixa produção de líquido amniótico chamado Oligohidrâmnio. Mas o procedimento realizado pela médica Vanessa Yuri Nakaoka foi um sucesso.

Atendimento humanizado


“Me senti muito tranquila e acolhida durante todo o tempo na maternidade. Foi tudo ótimo”, disse Kelly, a jovem mamãe, feliz da vida, que também reconhece o esforço do marido, Marcos Vinicios Moreira, que é ouvinte e está fazendo o curso de intérprete de Libras para poder se comunicar com ela no dia a dia.

Superintendente do Hospital e Maternidade Vital Brazil e Hospital Márcio Cunha, o médico Bruno Nunes Ribeiro, ficou orgulhoso de sua equipe. 

“Foi a primeira vez que o HMVB realizou um parto com esse tipo de acompanhamento. O Hospital, que é administrado pela Fundação São Francisco Xavier, tem como premissa o atendimento humanizado e a inclusão no atendimento às pessoas da comunidade. O parto foi comemorado por todos da equipe com muito carinho”, disse.

Kelly Moreira com o filho Nicolas Lucca, o garoto que entrou para a história de Timóteo, como o primeiro filho de mãe surda a nascer com o apoio de uma intérprete de Libras(foto: Divulgação FSFX)
Kelly Moreira com o filho Nicolas Lucca, o garoto que entrou para a história de Timóteo, como o primeiro filho de mãe surda a nascer com o apoio de uma intérprete de Libras (foto: Divulgação FSFX)
Jocilane, a intérprete de Libras, não esconde a felicidade com o tratamento dispensado pela equipe médica do Vital Brazil, à Kelly e à ela. A intérprete explicou que esse tratamento é importantíssimo, não apenas para ela, mas para toda a comunidade surda, que tem o direito, por lei, à acessibilidade em todos os procedimentos hospitalares.

"É um direito de todos aqueles que possuem a deficiência auditiva, mas que nem sempre é assegurado. E deve ser estendido, não apenas aos partos, como também a todos procedimentos hospitalares", disse.

O direito a que Jocilane se refere, está garantido no Estatuto da Pessoa com Deficiência, Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015, e o Decreto 5.626, de 22 de dezembro de 2005, que fala das pessoas com deficiência auditiva e do tradutor e intérprete de Libras."

O hospital


A Fundação São Francisco Xavier assumiu o Hospital e Maternidade Vital Brazil (HMVB) em caráter emergencial em setembro do ano passado. Desde então, a Instituição vem gerindo recursos e promovendo o funcionamento saudável da unidade, com precisão, aporte tecnológico e zelo pelos pacientes. Desde o último dia 31 de dezembro, o contrato foi oficializado para mais seis meses.
 
O HMVB conta com 77 leitos, sendo 45 deles dedicados a atendimento ao Sistema Único de Saúde (SUS). A unidade conta com a prestação de serviços de Terapia Intensiva (UTI) adulto; leitos de internação para atendimento às especialidades de clínica médica, pediatria, cirurgia geral e ortopedia, além da maternidade e o apoio ao diagnóstico.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade