Publicidade

Estado de Minas VITALidade

O Trabalho na terceira idade

Muitos idosos estão adiando a aposentadoria, para manter a funcionalidade e o sentimento de pertencimento social, que auxiliam o idoso a compreender a si mesmo


13/09/2021 06:00 - atualizado 13/09/2021 07:05

(José Milton Junior e Dra. Juraciara vieira Cardoso)

Homem idoso tece tapete em Tel-Aviv, Israel(foto: Pixabay)
Homem idoso tece tapete em Tel-Aviv, Israel (foto: Pixabay)


Trabalhar é uma dádiva. É consenso o quanto o trabalho adjetiva a vida das pessoas. O trabalhar e o fruto do trabalho podem nos trazer sensação de honra e dignidade quando o exercemos com qualidade. O trabalho pode ser uma fonte inesgotável de experiências social, afetiva e espiritual, notadamente quando trabalhamos com atividades que gostamos.

Não é sem razão que muitos idosos estão adiando sua aposentadoria, pois o manter-se ativo intelectual e profissionalmente tem muitas finalidades, mas sem dúvida uma delas é manter a funcionalidade e o sentimento de pertencimento social, que em muito auxiliam a pessoa idosa na compreensão de si mesma.

Já é sabido que em menos de 30 anos 40% dos trabalhadores nos países desenvolvidos terão mais de 50 anos e o aumento do tempo de vida ativa no trabalho permite um aumento significativo do PID per capita, girando em torno de 20%, fazendo com que estes países fiquem cada vez mais ricos e ofereçam melhor assistência a sua população. 

Já nos países menos desenvolvidos, com a idade e a aposentadoria, muitos idosos pensam que sua vida laboral também terminou, o que não precisa ser necessariamente verdadeiro. Trabalhadores veteranos podem ser mais qualificados e mais experientes, produzindo mais e com melhor qualidade. 

Uma prática em expansão no Brasil, a exemplo de outros países, é a contratação de idosos por grandes empresas, pois não foram poucas as companhias a notar que no idoso ainda há potencial para o trabalho; e que seu conhecimento sobre determinados temas pode ser de grande valia em um mundo empresarial dominado pela urgência. 

O que as empresas começaram a perceber é que, se aliarem o conhecimento a longo prazo adquirido pelo idoso com a impetuosidade do jovem, o que surge é, na maioria das vezes, uma decisão ponderada. Decisão esta que nenhum dos dois alcançaria se estivesse encerrado em si mesmo. Ficou evidenciado que a convivência de várias gerações pode produzir muitos frutos positivos.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto DataFolha, no ano de 2017, concluiu que em, relação aos mais jovens, os idosos são mais tolerantes, cuidadosos, responsáveis, educados, carinhosos, produtivos, éticos e preparados para o mercado de trabalho, o que os tornam extremamente atrativos para as empresas.

Com a finalidade de estimular as empresas a contratarem pessoas com sessenta anos ou mais foi proposto o Projeto de Lei n. 4.890/2019, que oferece até cinco anos de incentivos fiscais em relação às contribuições sociais do empregado idoso. O Estatuto do Idoso preconiza que não pode haver discriminação para participação no mercado de trabalho, seja no setor público ou no setor privado, de modo que uma empresa não pode se recusar a contratar uma pessoa idosa tomando como argumento apenas a sua idade.

É também o Estatuto do Idoso que dispõe que o poder público deve criar programas de incentivo à qualificação e à inclusão do idoso para sua reinserção no mercado de trabalho. Corroborando tudo isso, em setembro de 2020 o Ministério Público do Trabalho emitiu documento ressaltando a necessidade de igualdade no tratamento dos trabalhadores, sem discriminações no que se refere à idade dos mesmos. 

O trabalho para o idoso pode ser um modo de ele se relacionar ainda melhor com o mundo e mesmo que o objetivo não seja o de ganhar uma renda extra, poderá servir de estímulo e incentivo para que o idoso tenha uma visão mais positiva sobre si mesmo. O trabalho a ser desenvolvido não precisa ser estafante, ao contrário, deve proporcionar ao idoso um sentimento de pertencimento e acolhimento social. 
             
Construir novas relações sociais, ter compromisso de sair de casa e aprimorar-se nas atividades ocupacionais são alguns dos pontos positivos que retardarão o desenvolvimento de incapacidades por parte do geronte. Quanto mais ativo este for, maior será sua autossatisfação e melhores serão suas condições de envelhecimento, vivenciando-o de forma ativa e produtiva. 

As condições de trabalho do idoso devem respeitar sua idade e suas condições físicas, emocionais e intelectuais e devem ter como principal motivação o desejo que tem o idoso de se reinserir no mercado de trabalho. As famílias, ao perceberem o desejo do idoso de reinserção no mercado de trabalho, devem apoiá-lo, pois seu desejo pode ser muito além do desenvolvimento de um trabalho pura e simplesmente, podendo significar uma nova forma do idoso se relacionar consigo mesmo, com os outros e com o mundo que o cerca.
               
Em tempos de pandemia, onde os empregos ficaram escassos e a renda despencou, as dificuldades de inserção no mercado de trabalho ficaram maiores para todas as faixas etárias e nível de escolaridade e no caso dos trabalhadores mais velhos, esta dificuldade de se inserir no mercado ainda se apresenta como uma dificuldade a mais, porém atinge os idosos em uma época em que uma renda extra seria extremamente bem-vinda. 

Envelhecer vem acompanhado de maiores gastos com medicamentos, locomoção, cuidadores, planos de saúde, dentre outros. Assim, a renda remunerada pelo trabalho é muitas vezes essencial para o cumprimento dos compromissos desta faixa etária, que muitas vezes ainda tem o compromisso de ajudar os filhos e netos. Nestes termos, o trabalhar não é mais uma opção e sim uma necessidade. 

Portanto, a força de trabalho dos idosos representa uma possibilidade real e que deve ser utilizada para o benefício do idoso e da sociedade como um todo. Não desperdicemos este enorme potencial laborativo, entendendo que a sociedade se beneficiará do trabalho do idoso e este mais ainda, resgatando sua autoestima, seu orgulho de declarar sua ocupação e a satisfação diária de sentir-se com dever cumprido. 

Aos idosos: pensem sempre em ter uma ocupação, remunerada ou não. Isso preencherá seu dia, evitará depressão e ansiedade, permitirá a manutenção da cognição, trará benefícios cardiovasculares e principalmente trará uma enorme sensação de bem-estar. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade