Publicidade

Estado de Minas JUVENTUDE REVERSA

O tempo é relativo e depende do referencial a partir do qual o medimos

'Oração ao Tempo' de Caetano Veloso é a canção perfeita para refletirmos mais sobre a noção de como o tempo é o fluxo determinante da vida e das nossas emoções


07/10/2021 07:31

'Em nosso dia a dia usamos o relógio para marcar o tempo, mas como grandeza relativa ele depende do referencial a partir do qual o medimos'
'Em nosso dia a dia usamos o relógio para marcar o tempo, mas como grandeza relativa ele depende do referencial a partir do qual o medimos' (foto: Divulgação)
Em 1905, o brilhante físico alemão Albert Einstein (1879-1955) transformou o entendimento sobre o espaço, tempo e gravidade ao afirmar que o tempo é relativo - foi quando apresentou ao mundo a Teoria da Relatividade. Segundo Einstein, o tempo pode ser acelerado, passando mais rápido para uns, ou freado, passando mais devagar para o outros. Para um corpo parado, o tempo corre com velocidade máxima. Mas quando o corpo começa a se movimentar e ganha velocidade na dimensão do espaço, a velocidade do tempo diminui para ele, passando mais devagar. Ou seja, quanto mais rápido o corpo se move, mais devagar o tempo passa.

Sim, o tempo é relativo. Em nosso dia a dia usamos o relógio para marcar o tempo, mas como grandeza relativa ele depende do referencial a partir do qual o medimos. Dessa forma, o tempo deixa de ser um valor absoluto e passa a ser relativo ao ponto de vista.

É relativo em função de nossa ansiedade: quando estamos viajando para um lugar desconhecido, a viagem de ida é sempre mais demorada que a de volta.

É relativo na proporção de nossa fome: o mesmo tempo de 30 minutos do cozimento do feijão pode nos parecer uma infinidade se estamos famintos. Mas, num churrasquinho com os amigos a tarde de sábado voa.

É relativo quanto ao prazer: uma noite bem romântica passa rapidinho, enquanto uma noite discutindo a relação parece demorar um século.

É relativo se o tempo medido é de pedreiro: segundo um episódio lançado pelo Canal Porta dos Fundos, em janeiro de 2018, o "hoje" de um pedreiro é o "amanhã" do brasileiro médio, que corresponde ao "depois de amanhã" de um carioca, que equivale à "semana que vem" de um suíço.

É relativo em face do nosso tédio: os dias são extremamente longos quando estamos no escritório sem ter o que fazer ou desenvolvendo algo entediante.

É relativo quanto à nossa satisfação: nada como um dever cumprido, a sensação de ter atingido o que se propôs a si mesmo, com equilíbrio entre responsabilidade e diversão.

Para mim, a música "Oração ao Tempo" de Caetano Veloso, é perfeita para refletirmos sobre a noção de como o tempo é o fluxo determinante da vida e das nossas emoções.

"Tempo, tempo, tempo, tempo
Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo, tempo, tempo, tempo
Entro em um acordo contigo
Tempo, tempo, tempo, tempo
Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo, tempo, tempo, tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo, tempo, tempo, tempo".

Não importa a idade, faça do tempo a velocidade da vida.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade