Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

O caso do ex-ministro e o discurso do presidente Bolsonaro

'O fato correto, porém, é que o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a insinuar que pode não aceitar uma eventual derrota'


26/06/2022 04:00 - atualizado 26/06/2022 07:58

Presidente Bolsonaro discursa na Marcha para Jesus, em SC
"Bolsonaro voltou a insinuar que pode não aceitar uma eventual derrota" (foto: Evaristo Sá/AFP)

“Somos a maioria. Vocês têm que dar o norte para nós. Não podemos aceitar passivamente aqueles que querem impor as suas vontades sobre nós.” “Sempre tenho falado das quatro linhas da Constituição. Se preciso for, e cada vez mais parece que será preciso, tomaremos as decisões que devem ser tomadas”, afirmou Bolsonaro.

“Cada vez mais, tenho um exército que se aproxima das 200 milhões de pessoas em cada canto deste país”, acrescentou o presidente da República. O fato correto, porém, é que o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a insinuar que pode não aceitar uma eventual derrota para o ex-presidente Lula (PT) na eleição de outubro deste ano. O ex-capitão participou ontem da Marcha para Jesus, em Balneário Camboriú (SC).

No discurso, o presidente ignorou os resultados das pesquisas eleitorais e ameaçou agir fora da Constituição caso o seu principal adversário no pleito nacional saia vitorioso na disputa.

Mas Bolsonaro insistiu: “Não é fácil, um milagre a minha sobrevivência, porque não dizer quase um milagre uma eleição. Depois, também, formar um ministério com pressões as mais variadas possíveis para que Brasília continuasse como sempre esteve ao longo das últimas décadas, fizemos ao contrário. Apostamos porque sempre devemos lealdade ao povo que está na minha frente”.

Pressionado no episódio envolvendo o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro diante do esquema de propinas na pasta, o presidente da República optou por subir o tom de suas ameaças.

Para descansar um pouco, tem o áudio de uma paródia do humorista Marcelo Adnet sobre o diálogo que teria sido travado entre Jair Bolsonaro e o ex-ministro Milton Ribeiro, preso pela Polícia Federal na quarta-feira sob a suspeita de envolvimento em um escândalo de corrupção que atingiu o Ministério da Educação (MEC). A paródia viralizou e foi parar nos trend topics do Twitter de ontem.



E Marcelo Adnet estava bem-humorado ao simular uma ligação entre Bolsonaro e Milton Ribeiro, em que o presidente diz ter visto na “sua fonte de cristal” e que os “Pratos Feitos”, referência à Polícia Federal (PF), iriam na casa do ex-ministro “buscar aqueles versículos em notas de 200 que está escondido aí”.

OVNIs no Senado

Especialistas do Brasil e do exterior participaram no Senado Federal de sessão solene para comemorar os 75 anos do Dia Mundial da Ufologia, que é ramo de pesquisa sobre objetos voadores não identificados (OVNIs) e fenômenos relacionados. Eles confirmaram a existência de vida fora da Terra, citaram casos de aparições não compreendidas e defenderam a abertura de documentos com registros oficiais e extraoficiais. O professor e estudioso de ufologia Wilson Picler lembrou que o tema segue desafiando lideranças do planeta e são tratados como segredos de Estado.

E tem o Vaticano

Mas por pressão dos ufólogos e da sociedade, o panorama está mudando. Wilson Picler citou uma pesquisa recente com 2 mil brasileiros, mostrando que 32,6% acreditam em vida extraterrestre, o que é expressivo. Segundo ele, principalmente levando-se em conta que há conceitos religiosos que forçam os cidadãos a acreditarem que o ser humano é único. Entre os mais jovens, a percentagem de crentes é ainda maior: 46%. O ufólogo Ademar Gevaerd disse que o sigilo sobre o tema continua, mas muitas nações já fizeram aberturas parciais, do Brasil e até do Vaticano.

Fontes limpas

deputado Gil Pereira
Deputado estadual Gil Pereira (foto: Flávia Bernardo/ALMG)
“Prioridade da minha atuação parlamentar, tenho alertado sobre a urgência da diversificação da matriz energética nacional, através de outras fontes renováveis, para menor dependência das hidrelétricas, gravemente afetadas por períodos de escassez de chuvas, ou das termelétricas a óleo e carvão, mais caras e poluentes. A energia solar fotovoltaica foi uma das mais competitivas nos últimos leilões do governo federal para contratação de novas usinas, ao lado da fonte eólica”. Todos os registros partiram do deputado estadual Gil Pereira (PSD).

Elas precisam

Proporcionar mais facilidade na assistência às mulheres vítimas de violência é objetivo do projeto de lei (PL) do deputado federal Dr. Mário Heringer (PDT-MG). Ela avançou na Câmara dos Deputados, sendo aprovada em forma de substitutivo, na Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher. Reportagem do jornal Estado de Minas indicou que Minas Gerais registrou 130 mil ocorrências de violência contra a mulher no ano de 2021, de janeiro a outubro. A média de ocorrências na capital mineira assusta. São 639 por dia a cada grupo de 100 mil mulheres.

Nunca acaba?

A queda de Sievierodonetsk que já abrigou mais de 100 mil pessoas e hoje é praticamente um deserto que foi a maior vitória da Rússia desde a captura do porto de Mariupol. E transforma o cenário no campo de batalha no leste ucraniano, depois de várias semanas em que a enorme vantagem de Moscou em poder de fogo rendeu apenas pequenas conquistas. A Rússia agora espera pressionar e conquistar mais terreno na margem oposta do rio. Já a Ucrânia acredita que o preço que Moscou pagou para capturar as ruínas da pequena cidade deixe as forças adversárias vulneráveis.

ex-ministro e embaixador Ricupero
Rubens Ricupero, diplomata e ex-ministro (foto: TV Cultura/Divulgação)

 

PINGA FOGO

  • Em tempo, sobre a nota “Elas precisam”: “Apenas entre março de 2020, mês que marca o início da pandemia da COVID-19 no país, e dezembro de 2021, último mês com dados disponíveis, os números mostram que houve nada menos que 2.451 feminicídios.
  • E os números mostram ainda que “foram 100.398 casos de estupro e estupro de vulnerável de vítimas do gênero feminino”. A informação é do estudo feito pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
  • O BNDES foi criado pelo governo federal com a missão de alavancar o parque industrial brasileiro, mas hoje financia mais a agropecuária do que a indústria. No ano passado, ele, que é de fomento destinou 26% de seus recursos aos produtores rurais e 16% aos empresários industriais
  • O diplomata Rubens Ricupero, que foi ministro da Fazenda no governo Itamar Franco e secretário-geral da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad), afirma: “Não consigo compreender essa tendência”.
  • Antes tarde do que nunca, o jeito é encerrar por hoje e aproveitar o domingo com a família. FIM!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade