Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

De olho na OCDE, ministro Paulo Guedes afirma que Brasil é potência verde

Jair Bolsonaro tem o governo marcado por altas nos índices de desmatamento na Amazônia


22/06/2022 04:00 - atualizado 22/06/2022 07:37

Paulo Guedes
Guedes admite que processo para entrada na OCDE é longo (foto: SERGIO LIMA/AFP)
 
O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, ontem, que o Brasil está atrasado no processo de adesão à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). A declaração foi feita no evento de abertura do evento Semana Brasil-OCDE.

De acordo com Guedes, interessa ao Brasil receber o que considera a influência positiva da OCDE para a melhora do ambiente econômico. Apesar disso, ele admitiu que o processo que acesso ao organismo internacional é longo e pode ter algum tempo pela frente.

Paulo Guedes deu a declaração em mais um momento de críticas à política ambiental do presidente Jair Bolsonaro, com altos índices de desmatamento na Amazônia e o registro do assassinato, na região, do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Philips.

O ministro abordou a preservação ambiental durante discurso na abertura do fórum, no Ministério das Relações Exteriores, que discute o processo de entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

“A verdade é que nos interessa receber essa influência favorável para nossa integração tardia à economia global. E por que também é importante para OCDE que o Brasil entre? Primeiro, porque o Brasil é uma grande democracia liberal. Segundo, porque o Brasil é uma potência verde. É a maior potência verde do planeta. Nós somos parte decisiva da preservação ambiental.” É ainda de Paulo Guedes.

Crítico do que considera um exagero nas ações de fiscalização ambiental, o presidente da República Federativa do Brasil, Jair Messias Bolsonaro (PL), tem o governo marcado por altas nos índices de desmatamento na Amazônia.

Ambientalistas, empresários e líderes estrangeiros costumam pedir mais engajamento do Brasil na fiscalização de crimes ambientais. Em maio, a Amazônia registrou 899,64  quilômetros quadrados (km²) de área sob alerta de desmatamento, segundo dados sistema Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O número é o segundo maior para o mês em seis anos – atrás apenas de 2021, quando o bioma teve 1.390,12km² desmatados.

Enquanto isso, nem a comida ajuda. O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou a revisão da projeção do valor adicionado do setor agropecuário de 2022, que passou de crescimento de 1% em março para estabilidade, ou seja, crescimento nulo no ano.

De acordo o Ipea, a revisão do Produto Interno Bruto (PIB) do setor foi motivada pela piora na projeção da colheita de soja feita pelo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola: queda de 12,1%.

Demandas do Norte de Minas

O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) se reuniu com lideranças do Norte de Minas, em Pirapora, na última segunda-feira. Na pauta, demandas dos municípios ao Congresso Nacional. O parlamentar foi recebido com almoço por prefeitos, vereadores e lideranças. “Para diminuir as diferenças, o tratamento às cidades da Região Norte não pode ser o mesmo dado às áreas que já têm mais recursos. Desde cedo aprendi na vida pública que o tratamento dado a quem tem mais não pode ser o mesmo dado a quem menos tem. As desigualdades vividas pelos municípios do Norte de Minas precisam ser eliminadas com ações e políticas públicas dedicadas à região”, afirmou Aécio.

Sem parabéns

O governo brasileiro congratula o senador Gustavo Petro por sua eleição à presidência da Colômbia. Ao desejar ao presidente eleito êxito no desempenho de suas funções, o governo brasileiro reafirma seu compromisso com a continuidade e o aprofundamento das relações bilaterais com a Colômbia, com vistas ao bem-estar, prosperidade, democracia e liberdade de nossos povos. O presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PL), um político conservador e crítico de lideranças de esquerda, ainda não parabenizou Petro pela vitória.

A homenagem

“Se houver uma camisa branca e preta pendurada no varal durante uma tempestade, o atleticano torce contra o vento.” Essa frase de Roberto Drummond já é velha conhecida, mas sua trajetória foi mais longe. Autor de obras célebres como “Hilda Furacão” e “A morte de D.J. em Paris”, o jornalista e escritor Roberto Drummond morreu em junho de 2002. “Há 20 anos, o mundo da literatura perdia Roberto Drummond, escritor mineiro, gênio da crônica. Além de riquíssima, sua obra é eterna.” Quem destaca é o presidente da Assembleia Legislativa, Agostinho Patrus (PSD).

Trump ataca

Ex-presidente dos Estados Unidos e principal opositor de Joe Biden, Donald Trump declarou: “Estamos em grande perigo de guerra mundial”. A declaração ocorre em meio ao conflito entre o governo russo, que é uma das maiores potências militares, e a Ucrânia. “Nosso país está indo muito mal em todos os aspectos. Acho que nunca foi tão baixo, e estamos em grande perigo de uma guerra mundial”, disse. Trump advertiu que o Irã está prestes a se tornar uma potência nuclear, enquanto a China está emergindo como a superpotência mundial.

Matar a fome

Ao lançar as diretrizes que vão orientar o programa de governo de sua futura chapa com Geraldo Alckmin, Lula defendeu, ontem, o resgate da soberania nacional. “Se a gente está falando em reconstrução, a gente deveria comparar essas diretrizes à construção de uma casa. Nós vamos ter os tijolos da parede, que significa acabar com a fome outra vez, vamos ter os tijolos que significam aumentar o salário mínimo, e vamos construindo tijolo por tijolo até chegar na cobertura da casa, que é o material da soberania”, ressaltou o ex-presidente petista.

PINGA FOGO

  • Em tempo: Donald Trump destacou que a maneira como a crise Ucrânia x Rússia está sendo tratada coloca os Estados Unidos da América (EUA) “em sério perigo. É uma loucura o que eles estão fazendo. É uma loucura”, disse. E, óbvio, atacou o atual presidente democrata, Joe Biden.
  • Foi preso nessa terça-feira em Budapeste, na Hungria, um dos maiores traficantes internacionais do mundo: Sérgio Roberto de Carvalho, conhecido como Major Carvalho.  O mandado de prisão contra Carvalho havia sido expedido em 2020, no âmbito da Operação Enterprise.
  • A prisão é fruto de cooperação entre a Polícia Federal (PF) e o Escritório Central Nacional da Interpol em Budapeste, com troca de informações entre as duas organizações. Na ocasião, foram apreendidos mais de R$ 500 milhões da organização criminosa da qual Major Carvalho era líder.
  • “Nós achamos que a CPI é cortina de fumaça. Eles não querem discutir, não querem resolver. Se de fato eles querem resolver o problema do preço tem outros caminhos mais curtos, que é na governança, que é na política de preço”.
  • Como tudo tem de passar por Minas Gerais na política nacional, a declaração é do líder Reginaldo Lopes (PT-MG). Sendo assim chega por hoje. FIM!
 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade