Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Ministro Bento Albuquerque pode passar por saia justa

Ele vai participar de debate sobre a concorrência no setor de óleo e gás sem atentar para o fato de o evento ser patrocinado por um notório devedor de impostos


postado em 16/08/2019 06:00 / atualizado em 16/08/2019 08:27


 
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press - 17/4/2019)
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press - 17/4/2019)

O ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) pode ter caído numa pegadinha: ele confirmou presença em debate sobre a concorrência no setor de óleo e gás provavelmente sem atentar para o fato de o evento ser patrocinado por um notório devedor de impostos neste mercado: a Refinaria de Manguinhos, recentemente rebatizada de Refit, que acumula dívidas bilionárias em impostos não recolhidos.

Também estarão presentes o diretor da ANP Aurélio Amaral e o superintendente-geral do Cade, Alexandre Cordeiro.

Outro nome confirmado é do ex-advogado geral da União Luis Inácio Adams, recentemente contratado pela própria refinaria, que gastou no ano passado R$ 49,6 milhões com advogados, segundo balanço divulgado na CVM. O valor é superior ao desembolsado com a própria folha de pagamento e representa quase 30% do prejuízo de R$ 177 milhões reportado pela empresa.




RAPIDINHAS

 
  • Em meio ao turbilhão de notícias negativas que fizeram a bolsa brasileira despencar nos últimos dias, um relatório do banco americano trouxe algum alento. Segundo a instituição, o Brasil está se tornando um mercado mais “defensivo.” Em outras palavras: os ativos brasileiros tendem a ter performance melhor do que os papéis de outros emergentes. 

  • Trata-se de um diagnóstico importante. O Goldman Sachs influencia decisões de investimentos e uma sinalização positiva pode trazer mais recursos para o Brasil. Segundo projeções do banco, o Ibovespa, o principal índice da bolsa brasileira, deve terminar o ano aos 106 mil pontos. 

  • Está marcada para outubro a apresentação do primeiro relatório na Câmara sobre a regulamentação no Brasil de moedas virtuais como os Bitcoins. Produzido pelo deputado Expedito Netto (PSD-RO), ele estabelece regras para o uso das moedas virtuais como meios de pagamento. Países como Alemanha, Austrália e Inglaterra já admitem o uso de criptomoedas em transações financeiras.

  • Depois de anunciar a venda de hambúrguer vegetal nos Estados Unidos, a rede Burger King irá repetir a estratégia no Brasil. No próximo dia 10 de setembro, 58 lojas de São Paulo vão oferecer a novidade. Se as vendas forem bem-sucedidas, o sanduíche de “carne fake” será levado para outras praças.



2030

é quando a chinesa Huawei espera ter concluído o desenvolvimento da tecnologia de conexão 6G, que tornará a velocidade de navegação de dados inimaginável




"A grande ameaça não 
está nos robôs, mas na relutância em nos reinventarmos”

. Sandro Magaldi, 
fundador e presidente da startup MeuSucesso.com, que atua com educação empreendedora




Nubank aposta no débito
(foto: Divulgação )
(foto: Divulgação )

O que falta para o Nubank atuar como um banco convencional? Não muito. Depois de um período de testes, a empresa anunciou ontem que passará a oferecer a função de débito para todos os clientes. Eles poderão requisitar a funcionalidade diretamente por aplicativo. Nos últimos meses, o Nubank tem adotado estratégias agressivas de expansão, que incluíram a abertura de escritórios no México e na Argentina. Com valor de mercado de US$ 10 bilhões, é a startup mais valiosa da América Latina. 


Argentina YPF acelera no Brasil
(foto: JUAN MABROMATA/AFP %u2013 4/12/2014)
(foto: JUAN MABROMATA/AFP %u2013 4/12/2014)

A petrolífera argentina YPF está empolgada com o desempenho da marca no mercado brasileiro. A empresa, terceira maior petrolífera das Américas, registrou no Brasil crescimento de 6% em vendas totais no ano passado. O segmento de produtos automotivos, como óleos lubrificantes, disparou 39%. Na próxima semana, o vice-presidente Santiago Martinez Tanoira virá ao país para ouvir dos executivos brasileiros, em Diadema (SP), as razões que levaram a essa alta.


São Paulo lidera fraudes on-line
Uma pesquisa realizada pela Konduto, empresa de antifraude para pagamentos on-line, identificou que, em 2018, 40% dos ataques no e-commerce do Brasil aconteceram no estado de São Paulo. Na sequência aparecem Rio de Janeiro (9,77%) e Minas Gerais (8,15%). Para chegar ao resultado, a empresa considerou as tentativas, e não necessariamente as invasões confirmadas. Normalmente, as próprias operadoras de cartão de crédito usam sistemas de inteligência artificial para barrar transações suspeitas. 
 


Publicidade