Publicidade

Estado de Minas NOVELA

''Elenice improvisa perigosamente na vida'', diz Ana Beatriz Nogueira

Atriz analisa a personalidade de sua personagem em ''Um lugar ao sol'' e diz que há muitas mulheres como ela


02/01/2022 04:00 - atualizado 02/01/2022 01:55

Atriz Ana Beatriz Nogueira olha para a câmera
Ana Beatriz Nogueira interpreta a inconsequente Elenice (foto: Fábio Rocha/divulgação)


Ana Beatriz Nogueira reconhece a importância do humor de Elenice em “Um lugar ao sol”, novela das 21h da Globo. Sem limites, a personagem está falida e faz o necessário para manter as aparências: de aplicar golpe para não pagar conta de restaurante a instalar hóspede no apartamento da nora Bárbara (Alinne Moraes), fingindo que o imóvel lhe pertence. A mãe adotiva de Renato (Cauã Reymond), de fato, não mede esforços para continuar posando de rica.
 
Na opinião da atriz, Elenice não pensa muito nas consequências de seus atos. “Vira e mexe, tem um humor ali que vem das situações em que ela se mete. Beira o absurdo. Elenice improvisa perigosamente na vida. Ela mesma arma alguns momentos, que são pensados até a página dois, mas depois é improviso”, comenta Ana Beatriz.

FILHO

Elenice perdeu o dinheiro deixado pelo marido no decorrer dos anos e apostou tudo no casamento de Christian/Renato com Bárbara. Só que o filho adotivo não a sustenta. Apesar da relação conturbada dos dois, ela nunca poderia imaginar que o bebê abandonado em Goiânia tomaria o lugar do irmão gêmeo adotado por ela. A tensão entre mãe e filho é visível.
 
“Elenice tem o Renato como um objeto, acha que o filho pertence a ela. Então, quer conduzir a vida dessa criatura. Isso acontece muito! Ela até percebe as mudanças no comportamento dele, mas jamais imaginaria que se trata de outra pessoa”, assegura.
 
Elenice não é a primeira mãe megera da carreira de Ana Beatriz Nogueira. A atriz interpretou papel semelhante em “A vida da gente”, novela exibida pela Globo em 2011 e 2012, reprisada recentemente na faixa das 18h.
 
Eva é distante de Elenice, apesar de as duas compartilharem defeitos, acredita Ana Beatriz. “Algumas personagens podem ser feitas por outro viés. Elenice e Eva são mulheres fora da curva, com o egoísmo em comum. Elas não veem o outro, projetam os próprios desejos nos filhos”, observa. “'A vida da gente' reprisou. Então, essa lembrança está fresca para o público. Só que pessoas com características semelhantes podem ser totalmente diferentes.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade